Crespo confirma que falou com São Paulo; Santos também está na briga

LANCE!
·2 minuto de leitura


O nome que não sai da boca da torcida são-paulina é Hernán Crespo. O ex-craque e atualmente treinador argentino está cotado como o mais próximo de substituir Fernando Diniz. Após anunciar sua saída do Defesa y Justicia (ARG), Crespo deu uma entrevista ao jornal TyC Sports onde confirmou as investidas do Tricolor, mas também revelou que conversa com outros interessados, inclusive um rival do São Paulo, o Santos.


Veja a situação do São Paulo na tabela do Brasileirão!

A declaração foi dada após o técnico se despedir dos jogadores e da direção do clube com qual se sagrou campeão da Copa Sul-Americana.

Perguntado sobre as especulações que tomaram conta da mídia nos últimos dias, Crespo negou qualquer acerto e reafirmou seu carinho pelo Defensa y Justicia.


- Acabou uma etapa linda. Falar com os jogadores e as pessoas que trabalham aqui foi lindo, emocionante e me parecia justo. Merecia ser sincero com os dirigentes, com o clube e com as pessoas. Não tenho nada, não fechei com ninguém. Mas me parece que, quando o telefone toca constantemente, não é justo que me tirem nem 1% do foco do que era o Defensa (Defensa y Justicia).

Ainda sobre seu futuro, o treinador confirmou o contato do Tricolor, time com quem Crespo já foi inclusive dado como certo por alguns veículos e é tido como o mais próximo da contratação do argentino. Porém, ressaltou que o rival do São Paulo, o Santos, e a seleção chilena também entraram em contato.

- Não assinei com ninguém nem estou trocando o Defensa por outra situação. Me pareceu correto avaliar e liberar o Defensa, porque não era saudável nem para os dirigente e nem para os jogadores que isso (especulações) esteja por trás constantemente. Falei com o Santos, com o San Pablo y com a seleção do Chile, mas não decidi absolutamente nada".

O treinador anunciou o fim de seu vínculo com a equipe argentina neste domingo (7), o que intensificou os rumores sobre a vinda do técnico para o comando do soberano, que busca por um novo comandante desde a demissão de Fernando Diniz.