Crítico de Messi e Neymar, Van Gaal tem histórico problemático com argentinos


Além de uma vaga para a próxima fase da Copa do Mundo, o confronto entre Argentina e Holanda ganha um tempero a mais por causa da rivalidade entre Louis van Gaal, comandante da Laranja, e Ángel Di María. Ambos trabalharam juntos no Manchester United e não conviveram de forma harmônica.

Mas o problema de Van Gaal com jogadores argentinos não começou com o camisa 11, mas sim com Riquelme, histórico meia do Boca Juniors, em 2002. Em junho daquele ano, o atleta estava chegando no Barcelona após assinar contrato de cinco anos, e o holandês era o comandante da equipe catalã.

Anos após sua curta passagem pelo clube culé, Riquelme revelou uma conversa que teve com o treinador no vestiário logo após sua chegada à Espanha e deu a entender que o holandês tinha uma implicância com seu estilo de jogo.

+ Saiba quem são os pendurados da Argentina contra a Holanda

- Ele disse: "Tenho que falar com você. Estes vídeos são todos de você. Você é o melhor jogador do mundo quando tem a bola, mas jogamos com um a menos quando não temos (a bola). Tenho um sistema, e confio nele, você vai jogar pela ponta esquerda". No jogo seguinte, eu me coloquei na minha posição, pelo meio. Ganhamos por 2 a 1, e as duas assistências foram minhas. No treinamento seguinte, pensei que estaríamos todos felizes. Mas me disse: "Você é um desordenado, todos dizem que jogou uma grande partida e eu falo que tem que jogar pela esquerda". Depois me tirou da equipe.

Di Maria e Van Gaal - Manchester United (Foto: AFP)
Di Maria e Van Gaal - Manchester United (Foto: AFP)

Van Gaal e Di María dos tempos de Manchester United (Foto: AFP)


Em 2014/2015, o Manchester United havia contratado Ángel Di María após uma passagem do jogador pelo Real Madrid. Na mesma época, os Red Devils anunciaram a chegada de Van Gaal para comandar a equipe, mas a relação da dupla não foi nada boa e o argentino deixou o time de Old Trafford após uma temporada.

+ Saiba quais marcas Messi está próximo de quebrar nesta Copa do Mundo

- Em Manchester, comecei muito bem nos dois primeiros meses. Depois tive uma discussão, e quando você discute as coisas não saem da mesma maneira, não é a mesma relação, e o técnico é quem decide se você joga ou não. Havia muitos momentos em que perdia a bola e eram coisas que ele me mostrava. E toda hora só me mostrava o negativo. Até que um dia me enfureci, disse que não queria ver mais, que estava fazendo as coisas bem. Ele não gostou da forma como eu falei, e começou o problema. Eu disse: "Bom, erro passes. O que vou fazer? Se não quiser me botar, não me coloca". Aí começaram as discussões, vinha jogando bem e fui deixado de lado de um dia para outro.

Em 2019, o comandante holandês deu uma entrevista ao jornal "El País" em que elogiou Lionel Messi individualmente, mas também teceu críticas ao camisa 10 da Albiceleste e afirmou que um dos maiores jogadores deste século não consegue atuar de forma coletiva.

- Olha o Barcelona. Quantas Champions venceram com o que dizem que é o melhor jogador do mundo? Olha o Neymar. Quantas Champions o PSG venceu? Gosto de Messi e Neymar como jogadores individuais, não como atletas de equipe. Eu acredito no jogo coletivo, não há nada mais importante que o jogador coletivo. Individualmente, eu gosto de Messi. É o melhor jogador, pois suas estatísticas são assombrosas.

Nesta sexta-feira, Argentina e Holanda se enfrentam às 16h (horário de Brasília) buscando uma vaga na semifinal da Copa do Mundo. Enquanto Messi busca seu primeiro título mundial, a Laranja busca erguer seu segundo troféu na história e encerrar um jejum de 34 anos sem conquistas, desde a Eurocopa de 1988.