Críticas me ajudaram a ter desempenho vencedor, diz holandês Dumfries

Meia-atacante da seleção da Holanda Denzel Dumfries durante partida contra os Estados Unidos pelas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar

Por Martyn Herman

DOHA (Reuters) - O meia-atacante da seleção holandesa Denzel Dumfries disse que as críticas recentes o haviam ajudado a ter uma performance decisiva na vitória holandesa por 3 x 1 sobre os Estados Unidos nas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar neste sábado.

O jogador da Inter de Milão produziu uma exibição virtuosa ao dar no primeiro tempo assistências para os gols de Memphis Depay e Daley Blind e, em seguida, marcar um gol no final da partida para acabar com as esperanças norte-americanas de reação.

Apesar de ter se classificado para a fase de mata-mata ao vencer confortavelmente o Grupo A, a equipe de Louis Van Gaal não havia exatamente incendiado o torneio com sua linha de ataque sob os holofotes.

"O objetivo da partida era vencer e estou feliz por ter podido ajudar a equipe", disse Dumfries, cujos pais lhe deram o nome do ator americano Denzel Washington.

"Eu também fiquei contente por Daley (Blind). Sendo honesto, recebemos algumas críticas recentemente. E acho que é um bom impulso para nós dois o fato de termos sido importantes esta noite para o grupo."

O treinador Louis van Gaal prometeu um "grande beijo gordo" para Dumfries se ele voltasse a jogar bem contra os norte-americanos e o que quer que Dumfries pensasse dessa possibilidade, ele certamente provou ser a diferença contra os Estados Unidos no Estádio Khalifa.

Ele se tornou o primeiro jogador holandês desde os dias agitados do "Futebol Total" nos anos 1970 a se envolver em três gols em uma partida da Copa do Mundo, emulando Rob Rensenbrink (duas vezes em 1978) e o grande Johan Cruyff (1974).

Dumfries disse que o primeiro gol, uma assistência dele para o Depay depois de uma jogada de 20 passes, mostrou exatamente do que o sistema holandês é capaz quando engrena.

Ele também viu Van Gaal expressar alegria, mesmo que o veterano treinador tenha criticado a exibição de seu time no primeiro tempo.

"Fui muito crítico no intervalo em minha análise com os jogadores, apesar de estarmos na liderança", disse ele aos repórteres.

"Foram gols fantásticos, mas no primeiro tempo sofremos tanto e perdemos a posse com tanta frequência e isso não é aceitável em uma Copa do Mundo contra países de primeira linha."

"Achei que no segundo tempo fizemos um trabalho muito melhor. Mas, de modo geral, isto nos dá uma confiança incrível", disse.

Com a proximidade de uma possível quarta de final contra a Argentina --a equipe que perderam nos pênaltis na Copa do Mundo de 2014, quando Van Gaal estava em sua segunda passagem no comando da equipe- uma melhoria significativa será necessária.

Mas Van Gaal insiste que sua equipe tem "grandes chances".

"As grandes seleções não avançaram aqui e ainda temos três jogos pela frente", disse ele. "Agora temos que arregaçar as mangas e voltar ao trabalho."

O capitão Virgil Van Dijk também disse que os holandeses ainda têm algumas melhorias a fazer se quiserem ter uma chance de finalmente conseguir um título da Copa do Mundo.

"Sim, foi melhor, mas nós somos críticos", disse ele. "Eu acho que todos na Holanda são críticos. Mas estamos nas quartas de final. Acho que agora temos dois dias extras para nos recuperarmos, o que ajuda."