Covid-19: Fila para UTI chega a 230 pacientes em hospitais públicos de São Paulo

·2 minuto de leitura
Unconscious and intubated Covid-19 patients are treated in Vila Penteado Hospital's ICU, in the Brasilandia neighborhood of Sao Paulo, on June 21, 2020. According ta a study published in June 21st, Brazil's public hospitals, like Vila Penteado, had almost 40% death rates from the new coronavirus, the double from private hospitals. Brasilandia is one of the neighborhhods in Sao Paulo with highest number of deaths from Covid-19 (Photo by Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images)
A fila por um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em hospitais públicos municipais e estaduais na cidade para tratamento da Covid-19 na cidade de São Paulo chegou a 230 pessoas nesta quarta-feira (3). (Photo by Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images)

A fila por um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em hospitais públicos municipais e estaduais na cidade para tratamento da Covid-19 na cidade de São Paulo chegou a 230 pessoas nesta quarta-feira (3). Ainda há outras 220, com sintomas menos graves, esperando internações em enfermarias.

De acordo com a Folha de S. Paulo, que recebeu a informação do secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, os pacientes na fila estão sendo encaminhadas ao tratamento intensivo de acordo com vagas que surgem. Ou seja, só quando outros pacientes saem da UTI — vivos ou mortos.

Leia também

Nesta quarta-feira (3), o governador João Doria (PSDB) anunciou que o estado de São Paulo entrará na fase vermelha a partir do próximo sábado (6) e ficará durante duas semanas no novo regime de restrição, dado o aumento de casos de coronavírus. Além disso, o governador disse que serão abertos 500 novos leitos de UTI.

A situação se repete em hospitais de elite da capital que, no pior momento da pandemia no Brasil, também começam a dar sinais de colapso.

O Hospital Israelita Albert Einstein registrou nesta terça ocupação de 99%. O hospital bateu o recorde de internações por Covid na terça-feira (2), com 162 pacientes.

“Projeção, infelizmente, não é boa para as próximas semanas, haja visto o comportamento da nossa população em termos de precaução e de aglomeração, não distanciamento. Haja visto a transmissibilidade aumentada com as novas variações, principalmente a que vem do Amazonas. Há uma série de fatores que têm contribuído para o aumento de casos”, relatou ao Yahoo! Notícias o presidente do Einstein, o médico Sidney Klajner.

O aumento de casos de Covid e internações acontece em todo o estado. Para se ter ideia, São Paulo tem 73,2% de ocupação de leitos de UTI devido à Covid-19, 74,3% na Grande São Paulo. Em Campinas, a prefeitura local colocou a cidade em fase vermelha, embora sua macrorregião esteja na laranja. Cidades do área do ABC implantaram lockdowns noturnos.

Já morreram 59.546 pessoas no estado durante a pandemia do novo coronavírus, que infectou pouco mais de 2 milhões.

***Correção: a primeira versão deste texto estava errada, pois dizia que a fila de UTI para Covid-19 era de 450 pessoas. Mas, este número é o total da fila da soma de UTI e enfermaria. São 230 esperando um leito de UTI Covid e outras 220 aguardando leito em enfermaria.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos