Coudet, em pouco mais de dois meses, perde referência da equipe e principais contratações - e pelo mesmo motivo

Fabio Utz
·1 minuto de leitura

O centroavante Paolo Guerrero iniciou 2020 como o nome de maior vulto do Internacional. Já o lateral-direito Saravia e o meia Boschilia foram as contratações de maior repercussão. Pois eles tiveram o mesmo destino: a mesa de cirurgia.

Boschilia rompeu ligamento do joelho durante treinamento | LIAMARA POLLI/Getty Images
Boschilia rompeu ligamento do joelho durante treinamento | LIAMARA POLLI/Getty Images

Em pouco mais de dois meses, os três romperam o ligamento cruzado anterior do joelho direito, lesão que tem tempo mínimo de recuperação estimado em 180 dias. O primeiro a virar baixa foi Guerrero, que se machucou em 16 de agosto durante duelo contra o Fluminense (derrota por 2 a 1), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Em 29 de setembro, Saravia se viu com problema idêntico ainda no primeiro tempo da partida frente ao América de Cali (empate em 0 a 0), na Colômbia, pela Libertadores.

Guerrero foi o primeiro do trio a virar baixa para Eduardo Coudet | Bruna Prado/Getty Images
Guerrero foi o primeiro do trio a virar baixa para Eduardo Coudet | Bruna Prado/Getty Images

Por fim, nesta segunda-feira, veio a notícia a respeito de Boschilia. O atleta, inclusive, se preparava para voltar ao time colorado após se recuperar de um problema muscular. Ele seria relacionado para o jogo desta quarta, diante do Atlético-GO, na estreia colorada na Copa do Brasil, só que se lesionou durante treinamento e, assim como aconteceu com os companheiros, precisará ser operado. A princípio, o Inter não irá ao mercado em busca de reposição por conta de problemas financeiros.

Para mais notícias do Internacional, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.