Corpos de pais de Longuine são enterrados em Maringá, no Paraná

Os corpos dos pais de Rafael Longuine, do Santos, que morreram em um acidente de carro na madrugada da última terça-feira, em Alto Paraná, no noroeste do Paraná, foram enterrados no Cemitério Parque de Maringá, na região norte do estado, nesta quarta-feira.

Maria Fátima de Carvalho Longuine, de 52 anos, e Wellington Longuine, de 53, não resistiram aos ferimentos após o choque de seu carro com um caminhão, na BR-376, e faleceram no local. Lidia Ferreira de Carvalho Castelã, tia de Rafael, e Marcelo Kovalesk, motorista da carreta, foram as demais vítimas da batida.

O velório dos pais de Rafael ocorreu das 21h de terça até as 11h desta quarta. Muito abalado com a perda, o meia santista foi liberado pela diretoria do clube e não tem data certa para retornar aos trabalhos no CT Rei Pelé e voltar a ser opção para o técnico Dorival Júnior.

Segundo o Peixe, o jogador foi informado sobre o acidente na manhã de terça. Jogadores, comissão técnica e membros da diretoria não conseguiram comparecer ao velório pois o Santos está em preparação para o duelo contra o Santa Fe, nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Pacaembu, pela Libertadores. O clube, porém, decretou luto oficial por três dias.

Na tarde de terça-feira, o atacante Ricardo Oliveira, capitão do alvinegro, acompanhado de mais cinco jogadores do elenco, prestou solidariedade a Longuine.

“Queremos dizer ao Rafael que sentimos muito pelo que aconteceu com seus familiares e também sentimos pelos familiares da outra vítima. Nossa tristeza é notória. Ele vai receber todo nosso apoio e o ânimo que vai precisar durante esses dias. E é essa a razão da gente estar aqui”, disse o centroavante.

Leia também