Coronavírus: Taxa de ocupação nas UTIs chega a 81% na Grande SP e 61% no estado

Yahoo Notícias
Leitos de UTIs na Grande São Paulo já estão perto do colapso, com a taxa de ocupação acima dos 80%. (Foto: Miguel Schicariol / AFP via Getty Images)
Leitos de UTIs na Grande São Paulo já estão perto do colapso, com a taxa de ocupação acima dos 80%. (Foto: Miguel Schicariol / AFP via Getty Images)

A taxa de ocupação dos leitos de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) nos hospitais é de 81% na Grande São Paulo e 61,6% em todo o estado, segundo dados divulgados pelas autoridades da Secretaria da Saúde de São Paulo nesta terça-feira (28), em coletiva sobre o balanço dos dados da Covid-19 no estado. Essa foi a primeira vez que esse índice ultrapassou o patamar dos 80%.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O percentual dos leitos de enfermaria, destinados a pacientes em quadros menos graves do novo coronavírus, é de 70% na Grande São Paulo e 44,5% analisando o estado inteiro. O estado de São Paulo tem, até esta terça, 24.041 casos confirmados e 2.049 mortes em decorrência do novo coronavírus.

Leia também:

Ao todo, são 1.437 pacientes utilizando os leitos de UTI no estado de São Paulo. Já os pacientes internados em leitos de enfermaria totalizam 1.800, conforme informou o secretário de Saúde do Estado, José Henrique Germann.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

São Paulo registrou 224 novas mortes nas últimas 24 horas. Esse é o maior número de mortes pela Covid-19 registrado desde o início da pandemia no estado. O patamar anterior era de 211 óbitos, confirmados entre os dias 22 e 23 de março.

PROXIMIDADE DO COLAPSO

O índice acima de 80% acende uma luz de alerta por conta da proximidade com o colapso na capacidade de UTI. Em um paciente da Covid, o tempo de internação é mais de 15 dias.

“Se vocês olharem internacionalmente, quando você atinge 80%, começa a ter um certo risco aumentado e muito. Se olharmos o leitos disponíveis e a taxa de ocupação, estamos chegando num limite altamente perigoso”, afirmou Geraldo Reple Sobrinho, secretário de Saúde de São Bernardo do Campo e presidente do Cosems/SP (Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo).

Segundo Reple, esse índice corroboraria com um quadro de revisão da reabertura dos comércios e flexibilização das medidas de isolamento social, previstas para o próximo dia 11 de maio. “Esse índice até corrobora com uma não abertura (do comércio) neste momento eventualmente ou quando for feito. Quem nos orienta principalmente é taxa de ocupação hospitalar e taxa de ocupação dos leitos de UTI”.

UTIs LOTADAS NO FIM DE MAIO

No dia 15 de abril, o secretário José Henrique Germann fez uma previsão de que os leitos de UTIs destinados aos pacientes com Covid-19 nos hospitais do estado de São Paulo poderão chegar ao limite de ocupação em meados do fim de maio

“Teremos uma lotação dos leitos de UTI a partir do mês de maio. Temos duas reservas de leitos: uma que vai até o final de maio, e outra até final de julho. Estamos preparando outro lote de hospitais para entrarem em campo quando esses que temos hoje atingirem 90%, 95% de ocupação, mais ou menos no meio de maio pra frente. Após os novos leitos que vamos colocar à disposição, a nova previsão é que aguente até o fim de julho”, afirmou Germann, na ocasião.

Leia também