Coronavírus: São Paulo deve reabrir lojas e shoppings nesta semana; entenda como será

Yahoo Notícias
Sao Paulo state Governor Joao Doria (L) and Sao Paulo city Mayor Bruno Covas (R) visit a field hospital set up for coronavirus patients at Pacaembu stadium, in Sao Paulo, Brazil on March 27, 2020. - Brazil's top football clubs are handing over their stadiums to allow health authorities to turn them into field hospitals and clinics to fight the coronavirus pandemic. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Sao Paulo state Governor Joao Doria (L) and Sao Paulo city Mayor Bruno Covas (R) visit a field hospital set up for coronavirus patients at Pacaembu stadium, in Sao Paulo, Brazil on March 27, 2020. - Brazil's top football clubs are handing over their stadiums to allow health authorities to turn them into field hospitals and clinics to fight the coronavirus pandemic. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

A Prefeitura de São Paulo deve liberar a partir de quarta-feira (10) o funcionamento do comércio de rua na capital paulista.

Ainda deverão ser liberados shoppings centers, o que deverá ocorrer na quinta-feira. O anúncio deverá ser feito pela gestão Bruno Covas (PSDB) ainda na tarde de hoje.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também

Os protocolos com os setores serão assinados nesta terça (9) e quarta (10). Os estabelecimentos deverão seguir normas de higiene e segurança, além de respeitar os horários de funcionamento restritos para tentar combater o novo coronavírus.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Além de cuidados com saúde, como distanciamento social e uso de álcool gel, as lojas terão um limite de horário de funcionamento de quatro horas. O comerciante poderá escolher o horário de abertura, mas precisa ser fora do horário de pico - das 7h às 10h e das 17h às 20h.

Os shoppings também terão um limite de funcionamento. Ou abrem de 6h às 10h ou das 16h às 20h. O horário da manhã é uma reivindicação dos shoppings populares. Já os shoppings maiores e tradicionais devem funcionar no segundo horário.

Nenhum deles poderá receber mais do que 20% da capacidade máxima de público.

Os setores fazem parte de uma lista de cinco que foram autorizados a funcionar na fase 2-Laranja da quarentena, em vigor em algumas regiões do estado, incluindo a capital, desde 1° de junho.

A Prefeitura de São Paulo optou por liberar os setores contemplados apenas depois de analisar os protocolos de saúde. Na semana passada, o prefeito Bruno Covas autorizou o funcionamento de escritórios e concessionárias.

Nesta segunda-feira, Covas disse que já recebeu 96 protocolos de segurança.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também