Coronavírus: ex-ministro de Bolsonaro diz que exagero nas informações cria pânico

Yahoo Notícias
Ex-ministro da Cidadania disse que existe um “evidente exagero das informações para criar pânico na população em relação ao coronavírus”. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Ex-ministro da Cidadania disse que existe um “evidente exagero das informações para criar pânico na população em relação ao coronavírus”. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) usou sua conta no Twitter para minimizar a pandemia do novo coronavírus, dizendo que é “como as outras (epidemias) que ocorreram nas décadas passadas”.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

No tweet desta terça-feira, o ex-ministro da Cidadania do governo de Jair Bolsonaro disse que existe um “evidente exagero das informações para criar pânico na população em relação ao coronavírus”.

Leia também:

Osmar Terra ainda criticou as medidas preventivas de isolamento social - recomendadas inclusive pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta -, além da suspensão das aulas nas redes públicas e privadas. “Não é caso de suspender aulas e parar a atividade econômica”.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A nota gerou repercussão, com vários comentários no perfil do ex-ministro, lamentando seu posicionamento em relação à pandemia da Covid-19.

GUEDES PEDE EQUILÍBRIO

A fala de Osmar Terra se alinha às ditas na segunda-feira (16) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Em coletiva, o ministro disse que o Brasil precisará encontrar um meio termo entre a prevenção à disseminação do coronavírus e o impacto sobre a atividade econômica.

Segundo Guedes, se toda a população parar, o Produto Interno Bruto (PIB) "colapsa". Ao mesmo tempo, lembrou que as medidas sanitárias são importantes para não impactar o sistema de saúde.

“Se ficar todo mundo em casa, o produto colapsa. Se ficar todo mundo na rua, a velocidade de contágio é muito rápida e você atinge o sistema de saúde. Então, deve ter um meio termo. Os ingleses andaram sugerindo o seguinte: os mais idosos em casa e os mais jovens manter uma vida próxima do normal. Mas não sou eu que tenho que falar isso, é o Ministério da Saúde”, disse Guedes.

As declarações foram dadas durante coletiva de imprensa em que o ministro apresentou R$ 147 bilhões em medidas emergenciais para socorrer o setor produtivo, afetado pela pandemia.

Segundo Guedes, a economia brasileira será capaz de se recuperar após a pandemia.

“Se nós tivermos a atitude correta, resiliência, coragem, não nos entregarmos. Trabalharmos, em vez de reclamarmos, perguntarmos o que cada um pode fazer pelo país, em vez de todo dia torpedear o país. Se nós nos aplicarmos a isso, em vez de explorar as diferenças, jogar um contra o outro. Eu não tenho dúvida que a capacidade de resposta da economia brasileira é maior que isso. O vírus é temporário, já está descendo na China”, afirmou Guedes.

Leia também