Mesmo após diagnóstico de Covid-19, patroa não liberou mãe de Miguel do trabalho de doméstica

Yahoo Notícias
Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução/TV Globo

Após a chocante morte do garoto Miguel, de cinco anos, no Recife, Sarí Gaspar Côrte é acusada negligência e responderá por homicídio culposo. Além disso, uma parente garante que Mitres, mãe do jovem, contraiu o novo coronavírus enquanto trabalhava como doméstica na casa de Sarí.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Segundo Amanda Souza, sobrinha de Mirtes Souza, a mãe e a avó de Miguel continuar trabalhando mesmo após terem testado positivo para a Covid-19.

Leia também

"Pelo que conversei com a minha tia, quando ela estava ainda em isolamento, ela disse que tinha ido lá para Tamandaré [onde Miguel morreu] com a mãe e o filho porque os patrões e os filhos dos patrões estavam indo para fugir do foco, que seria o Recife. E lá ela contraiu o vírus, com o patrão dela", afirmou Amanda em entrevista ao portal Marco Zero.

Ainda conforme o relato de Amanda, o próprio Miguel teria se infectado com o novo coronavírus. Mesmo doente ela continuou trabalhando no apartamento: lavando, cozinhando, fazendo os serviços domésticos que tinha para fazer. Só que ela teve acesso aos medicamentos e exames. Miguel ficou em Tamandaré com a mãe dela (mãe de Mirtes) e os filhos da patroa. Inclusive o que se sabe é que Miguel também pegou o vírus, mas foi assintomático”.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Entenda o caso

Migue acompanhava a mãe, Mirtes Renata de Souza, ao trabalho no apartamento dos patrões, já que as creches em Recife estão fechadas por causa da pandemia. Mirtes teve de descer para passear com o cachorro da patroa, e deixou o filho aos cuidados desta. O menino teria começado a chorar enquanto a patroa fazia as unhas com uma manicure e entrou no elevador do prédio, no 5º andar, para buscar a mãe.

Sarí Côrte não impediu o menino de entrar no elevador e o deixou sozinho. Imagens do circuito de câmeras de segurança mostram que a patroa de Mirtes fala com o menino no elevador e parece apertar um dos botões. De acordo com a investigação, o menino desceu no 9º andar, escalou uma grade na área dos aparelhos de ar-condicionado e caiu. O caso aconteceu na terça-feira (02).

Sarí Côrte Real foi presa em flagrante e indiciada pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar, mas pagou a fiança de R$ 20 mil reais e responde às acusações em liberdade.

Em entrevista à TV Globo, nessa sexta-feira (05), a mãe de Miguel desabafou sobre a incapacidade da patroa em cuidar de seu filho e afirmou que ela o deixou ir para a morte.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também