Coronavírus: familiares da 1ª vítima fatal são internados em São Paulo

Yahoo Notícias
Primeira vítima fatal havia procurado socorro no Hospital Sancta Maggiore. (Foto: REUTERS/Rahel Patrasso)
Primeira vítima fatal havia procurado socorro no Hospital Sancta Maggiore. (Foto: REUTERS/Rahel Patrasso)

Quatro familiares que moravam na mesma casa que o porteiro aposentado Manoel Messias Freitas Filho, 62 anos, primeira vítima fatal do coronavírus no Brasil, estão internados com sintomas da doença.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Segundo o advogado Roberto Domingues Júnior, que representa a família do porteiro, o pai, 83 anos, e a mãe, 82, de Freitas Filho foram internados nesta quarta-feira (18) em hospital da rede Prevent Senior. O pai, segundo o defensor, está em estado mais grave. Já a mãe foi hospitalizada por prevenção em razão da idade.

Leia também:

Um irmão, 62 anos, e uma irmã do porteiro estão internados em hospital da rede pública com sinais de gripe. Outra irmã está na casa da família, no Paraíso (zona sul de SP), em quarentena.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O defensor conta que o porteiro tinha diabetes e hipertensão e começou a sentir os sintomas do covid-19 no dia 10. Ele procurou ajuda médica, no hospital Sancta Maggiori, perto de sua casa, quatro dias depois. Na unidade de saúde, o porteiro foi internado de imediato na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), onde morreu no última segunda-feira (16).

"A morte dele foi muito rápida, ocorreu seis dias após sentir os sintomas [febre, fraqueza e dificuldade para respirar]", diz o advogado.

Ele acrescentou que a família "não faz ideia" de como o aposentado contraiu o vírus, pois era uma pessoa caseira e não frequentava lugares com concentração de pessoas. O defensor ainda explica que os parentes só ficaram sabendo que o porteiro tinha covid-19 após a sua morte.

MAIS 2 MORTES CONFIRMADAS EM SP

O coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, o infectologista David Uip, confirmou, nesta quarta-feira (18), a morte de mais dois pacientes com coronavírus no Estado. Ao todo, são três mortes confirmadas no Brasil, sendo a primeira na terça-feira (17), todas em São Paulo.

A confirmação dos dois novos óbitos também partiu da operadora de saúde Prevent Sênior, onde as vítimas estavam internadas. Uip confirmou as duas mortes ao Jornal Hoje, da TV Globo. As novas mortes ainda não foram contabilizadas oficialmente nas contas da Secretaria de Saúde do Estado.

De acordo com a empresa, que é voltada para o público idoso, um dos pacientes tem 65 anos, com problemas de saúde anteriores, e outra de 80 anos sem comorbidade. Os dois estavam internados no hospital Sancta Maggiore, no Paraíso.

Em nota mais cedo, a Prevent informou que tem 36 pacientes com exames positivo para coronavírus.

primeiro óbito foi registrado nesta terça-feira no mesmo hospital. Trata-se de um porteiro, de 62 anos. A vítima não tinha histórico de viagem, mas apresentava duas condições pré-existentes que o colocavam no grupo de risco da doença: diabetes e hipertensão.

A vítima confirmada teria apresentado os sintomas no dia 10 de março, dado entrada na internação no hospital particular no dia 14 de março e falecido nesta segunda (16).

com informações da FolhaPress

Leia também