Coronavírus: funcionários de shopping no Chile protestam a favor de paralisação

Yahoo Notícias
Com medo, pessoas 'correm' aos mercados centrais de Santiago. (Foto: Cristobal Saavedra Vogel/Anadolu Agency via Getty Images)
Com medo, pessoas 'correm' aos mercados centrais de Santiago. (Foto: Cristobal Saavedra Vogel/Anadolu Agency via Getty Images)

O Chile já confirmou mais de 200 casos de coronavírus. No entanto, diversos centros comerciais continuam de portas abertas. Isso tem gerado revolta nos funcionários que trabalham nesses locais. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Nesta terça-feira, 17, trabalhadores de shopping paralisaram o trabalho para protestam contra a continuidade do trabalho. Foi o caso do Parque Arauco, que fica em Las Condes, região nobre da capital chilena. Ao Yahoo Brasil, um funcionário de uma loja de departamento afirmou que segue trabalhando normalmente.

O homem, que preferiu não se identificar com medo de perder o emprego, afirmou que vai ao trabalho de transporte público. “Estou preocupado, tenho um bebê de um ano e não quero correr o risco de contagia-lo”, afirmou. Ele ainda contou que há casos confirmados entre funcionários de lojas do Parque Arauco. 

Nas redes sociais, o shopping afirmou que deu “total flexibilidade para que cada loja, nesse período, decida ou não abrir, ou modificar seus horários de abertura e fechamento”. 

O funcionário ainda contou que a loja em que trabalha o proibiu de sair do estabelecimento e se juntar ao protesto. 

Segundo o site do canal Chilevisión, os protestos também aconteceram nos shoppings Alto Las Condes e Costanera Center.

Leia também