Em meio à crise do coronavírus, governo corta 158 mil do Bolsa Família

Yahoo Notícias
Foto: REUTERS/Nacho Doce
Foto: REUTERS/Nacho Doce

O Ministério da Cidadania iniciou os pagamentos da folha do mês de março do programa Bolsa Família. Apesar da promessa de ampliar o acesso ao benefício diante da crise social instaurada pela pandemia do novo coronavírus, o governo federal realizou um corte de 158.452 bolsas. As informações são do Portal UOL.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Assim como já ocorreu em outras medidas de corte realizadas pelo governo, o Nordeste foi a região mais afetada. Dos 158,4 mil benefícios a menos em março, 96.861 (ou 61,1% do total) foram retirados justamente da região.

Leia também:

Em janeiro, mês em que o programa recebeu novos ingressantes, apenas 3% eram do Nordeste, fato que direcionou muitas críticas ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Ainda de acordo com o UOL, o número de beneficiários é o menor do governo Bolsonaro, sendo o menor desde maio de 2017, quando o Bolsa Família teve o maior corte de sua história: 543 mil bolsas foram canceladas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O ministério afirma que a redução ocorre porque novas 185 mil famílias agora fazem parte do programa, mas 330 mil “se emanciparam” por apresentarem evolução nas condições financeiras, portanto, “superaram as condições necessárias para a manutenção do benefício”.

"É importante destacar ainda que os cancelamentos estão relacionados aos procedimentos rotineiros de averiguação e revisão cadastrais", disse a pasta ao UOL.

O Bolsa Família atende famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e de pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais. Se a renda per capita for maior do que isso, a família é retirada do programa.

Segundo o Ministério da Cidadania é importante “lembrar que o número de beneficiários flutua a cada mês em virtude dos processos de inclusão, exclusão e manutenção de famílias". Segundo o ministério, o valor médio do benefício subiu de R$ 190,75 para R$ 191,86 em março.

A pasta diz estar trabalhando para enfrentar os impactos do coronavírus. O governo anunciou um reforço no Bolsa Família ao incluir 1,2 milhão de famílias. Contudo, hoje elas se encontram na fila de espera.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também