Coroa e salva de palmas de integrantes da Mocidade marcam velório de Elza Soares

·1 min de leitura

Entre uma coroa e uma imagem de São Jorge e sob uma bandeira do Flamengo, e embalada por salva de palmas de integrantes da Mocidade Independente de Padre Miguel e amigos e familiares, Elza Soares foi velada na manhã desta sexta-feira no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A cantora morreu na tarde de quinta-feira, aos 91 anos, em casa, de causas naturais.

— Elza mostrou que esse mundo tem jeito se as mulheres tomarem conta. Ela se reinventou várias vezes e vai deixar a lição de que a gente precisa amar. E ela amou — disse Pedro Loureiro, empresário e representante legal da cantora.

O prefeito Eduardo Paes também prestou homenagens à carioca de Padre Miguel:

— Óbvio que todos nós estamos tristes, a família, a legião de fãs, mas acho que hoje é dia de celebrar a vida dessa mulher, essa grande representante da cultura brasileira, da força da mulher brasileira, das pessoas, das pessoas que nascem nas favelas e periferias, das pessoas pretas que enfrentam dificuldades no dia a dia. Essa mulher soube permanentemente se levantar. Vamos celebrar a vida de Elza Soares porque o Brasil deve muito a ela.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos