Corinthians já usou 29 jogadores da base no time profissional desde 2014

Alyson Marins é o coordenador do departamento de captação e já contratou mais de 100 atletas para a base em quatro anos (Corinthians/Divulgação)

Não é só a equipe principal do Corinthians que vive fase mágica. As categorias de base do Timão atravessam momento especial desde 2014, com mais de 30 títulos no período, além de quatro finais seguidas de Copa São Paulo de juniores e 29 atletas levados ao menos uma vez para o banco de reservas do time profissional (veja a lista completa no fim da matéria).

Tudo isso com um investimento 50% menor do que, por exemplo, o rival São Paulo. O Terrão, como também é chamada a base alvinegra, custa R$ 12 milhões por ano, contra R$ 24 milhões do CT de Cotia. Um dos segredos do sucesso corintiano é o departamento de captação, comandado por Alysson Marins. Tratado no mercado como um dos melhores do país, o ex-atacante de 41 anos, formado no Vasco e com passagens por vários clubes estrangeiros, é o coordenador de uma equipe com quatro pessoas que emplacou mais de 100 jogadores aprovados na base em quatro anos.

O departamento de análise e desempenho da base corintiana, cuja coordenação é de Gabriel Magalhães, também ajuda a explicar o êxito do clube na escolha de garotos que se destacam a partir dos sete anos de idade em todo o Brasil.

Nem as mudanças na chefia do futebol amador do Corinthians, de cunho político, têm impedido os bons resultados. Desde março, Nei Nujud é o diretor das categorias de base e conta com o ex-goleiro Yamada como gerente geral. Eles são responsáveis por uma redução de 15% no quadro de funcionários e diminuíram em 100 o número de atletas registrados.

Tudo isso sem perder a qualidade, tanto que o Corinthians tem dominado o Campeonato Paulista: é líder nas categorias sub-17, sub-15 e sub-13, e vice-líder no sub-20 e no sub-11. Por meio de uma apuração técnica, o número de jogadores nas cinco categorias caiu de 280 em março para 180 atualmente.

RAIO X DA BASE ALVINEGRA:
– gastos previstas para 2017: R$ 12 milhões
– número de atletas: 180 (eram 280 até março)
– funcionários: redução de 15%
– novos patrocínios: Betel e Truckvan
– meta: concluir a obra do novo CT ao lado do profissional

POSIÇÃO DOS TIMES NO CAMPEONATO PAULISTA:
– sub-11: 2º lugar (primeira fase)
– sub-13: 1º lugar (primeira fase)
– sub-15: 1º lugar (segunda fase)
– sub-17: 1º lugar (segunda fase)
– sub-20: 2º lugar (primeira fase)

JOGADORES DA BASE QUE FORAM AO MENOS UMA VEZ PARA O BANCO NO TIME PRINCIPAL:

2014
– Pedro Henrique
– Léo Arthur
– Malcom
– Matheus Vidotto
– Guilherme Arana
– Caíque França
– Fabiano
– Marciel
– Zé Paulo
– Paulinho

2015
– Rodrigo Sam
– Mateus Cassini
– Gustavo Tocantins
– Gustavo Vieira
– Gabriel Vasconcelos
– Matheus Pereira
– Matheus Vargas

2016
– Claudinho
– Maycon
– Léo Príncipe
– Léo Santos
– Léo Jabá
– Warian
– Del´Amore
– Mantuan
– Rodrigo Figueiredo
– Carlinhos
– Samuel

2017
– Pedrinho

Total: 29 jogadores