Corinthians faz campanha compatível com sua realidade na Série A

·1 min de leitura
Sylvinho ainda não completou dois meses à frente do Corinthians. Foto: Ettore Chiereguini/AGIF
Sylvinho ainda não completou dois meses à frente do Corinthians. Foto: Ettore Chiereguini/AGIF

Comentei Fortaleza 1x0 Corinthians e falei que o time cearense era favorito no confronto, antes da partida, algo que seria impensável, anos atrás. A constatação é pura e simples. O Fortaleza cresceu como clube e isso foi se alastrou para o campo. Desde a recuperação com o trabalho de Rogério Ceni até a chegada do argentino Vojvoda.

O jogo mostrou um domínio amplo sobre o Corinthians e apresentou um cenário que os torcedores corintianos precisam aceitar, em 2021. O Corinthians mantém sua torcida espetacular e esse é o seu maior patrimônio. A instituição sofre com grandes problemas financeiros, de gestões que só pensaram em ganhar títulos, ao invés de também pagá-los.

Leia também:

O Corinthians de Sylvinho, Duílio Monteiro Alves e cia, faz uma campanha compatível com sua realidade na Série A do Brasileiro. Está em 12º lugar com 14 pontos em 33 disputados, com 42,4% de aproveitamento. Marcou oito gols e levou oito. Venceu América-MG, Sport e Chape, concorrentes na luta contra o rebaixamento e conseguiu empatar com Palmeiras, São Paulo, Fluminense e Inter. As derrotas para Atlético-GO, Red Bull Bragantino e Fortaleza foram normais.

Hoje o Corinthians não tem equipe e elenco para bater de frente com seus maiores adversários. A diretoria acha que é possível jogar mais com o grupo que tem, mas isso parece utopia pelas atuações individuais. Coletivamente, o Corinthians parece ajustado, para primeiro pensar em não perder e depois tentar ganhar. Só que isso basta apenas para ficar na elite. Pensar e planejar 2022 deve ser uma antecipação obrigatória desta direção.