Corinthians enfrenta o Goiás em momento diferente de data da partida suspensa pelo Brasileirão

No primeiro turno, o Timão venceu o Goiás por 1 a 0, gol marcado por Fábio Santos (Foto: Karen Fontes / iShoot / L!)


Elenco, postura e psicológico. Esses são alguns pontos fundamentais no qual o Corinthians deste sábado (29) será completamente diferente do dia 15 de outubro, data original da partida contra o Goiás, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na circunstância, o duelo foi suspenso pelo STJD por conta de divergências entre os times em relação a presença das duas torcidas, que contou com outros órgãos envolvidos.

+ Confira detalhes da terceira camisa e a nova linha do Corinthians em alusão ao Mundial do Japão

A questão é que há duas semanas a partida tinha peso completamente diferente para o Timão do que terá agora. Na ocasião, os corintianos estavam com a cabeça na final da Copa do Brasil, pois enfrentariam o Flamengo, no jogo de volta da decisão, quatro dias depois. Agora, com o vice-campeonato, o confronto diante do Esmeraldino passa a ser fundamental no objetivo da equipe alvinegra em se classificar diretamente à fase de grupo da Libertadores no ano que vem.

No dia 15 de outubro, o indicativo era de que o Corinthians fosse a campo contra o Goiás com uma equipe completamente reserva, o que naturalmente aumentaria a chance dos goianos. No duelo deste fim de semana, por sua vez, o Time do Povo levará a campo o que tem de melhor, ainda que tenha bastante desfalques, entre lesionados e suspensos.

Por outro lado, o momento psicológico do Timão é outro em relação ao de duas semanas atrás. Mesmo enfrentando o time reserva e um elenco com a cabeça na final da Copa do Brasil, o Goiás teria pela frente um adversário alegre e entusiasmado com a decisão dos dias que vinham a seguir. Agora, o plantel corintiano vive dias difíceis, semelhante a um luto, o que refletiu na postura do time nos dois últimos jogos, contra Santos e Fluminense.

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro e simule os próximos jogos

NOVELA VÍTOR PEREIRA

Em meio a tudo isso também tem a ‘novela Vítor Pereira’. A repercussão quanto ao futuro do treinador corintiano aumentou muito após o término da Copa do Brasil. Em caso de título do Timão, a tendência é que o martelo já estivesse batido. Como isso não ocorreu, tanto o treinador, quanto a diretoria, esperam o fim do Brasileirão para fazer o anúncio.

Saber qual será o destino do técnico no ano que vem divide opiniões dentro do Corinthians. O atacante Róger Guedes, por exemplo, acredita que essa indefinição gera um peso aos atletas. Já o lateral Fábio Santos tem uma opinião diferente sobre o assunto.

- A gente gostaria de saber, mas é dele com a direção. Ele vai fazer o que for melhor para ele por causa da família, e vamos acatar da melhor forma possível - destacou Guedes na zona mista após a derrota para o Fluminense, na última quarta-feira (26).

- A gente sabia que ele tomaria uma posição depois da Copa do Brasil. Isso é muito particular dele, e a gente está aguardando, mas não tem influenciado dentro de campo - se posicionou Fábio Santos.

ENTENDA A SUSPENSÃO DA PARTIDA

Torcedores de Corinthians e Goiás se enfrentaram na Marginal Tietê antes do jogo pelo primeiro turno do Brasileirão, em São Paulo, que aconteceu no mês de julho. Por conta deste episódio e da falta de estrutura do estádio da Serrinha, o Tribunal de Justiça de Goiás solicitou à CBF que o duelo pelo segundo turno tivesse somente a torcida mandante. Esse pedido, que foi acatado pela entidade máxima do futebol brasileiro, ocorreu na semana em que aconteceria a partida e foi considerado unilateral pelo Corinthians, que recorreu ao STJD, que na véspera do confronto revogou o pedido do TJ/GO e deu voz para que o evento tivesse a presença de torcedores dos dois times.

No entanto, na manhã do dia 15 de outubro, data em que a partida estava marcada, a justiça comum do Estado de Goiás determinou que o jogo acontecesse somente com a torcida esmeraldina, sendo que caravanas com corintianos já estavam a caminho do estádio Hailé Pinheiro. Mediante a essa situação, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva optou pela suspensão do confronto, que foi acatado pelos dois clubes envolvidos.

Nos dias seguintes foram feitas algumas reuniões com representantes do Goiás, da Federação Goiana de Futebol e órgãos responsáveis pela segurança pública e realização de eventos no Estado para garantir a presença das duas torcidas no dia em que fosse remarcado o confronto, o que ficou decidido que teria. Para isso, algumas normas foram estabelecidas como: isolamento do entorno do estádio seis horas antes do jogo iniciar, escolta das caravanas com torcedores corintianos desde a chegada a Goiânia e permissão de compra de apenas um ingresso por CPF com identificação facial no ato da compra.