Corinthians é acionado na Justiça por coleta de lixo

Cobrança ao Corinthians se deve a serviços prestados no Parque São Jorge.

Cobrança ao Corinthians se deve a serviços prestados no Parque São Jorge.
Cobrança ao Corinthians se deve a serviços prestados no Parque São Jorge. Foto: (Ricardo Moreira/Getty Images)

Uma ação na Justiça foi feita contra o Corinthians por uma empresa que prestava serviços referentes à coleta de lixo no Parque São Jorge durante a pandemia de Covid-19. A Coleta Industrial Fimavan, empresa especializada na coleta e transporte de lixo, cobra pagamentos atrasados do clube alvinegro.

Segundo informações publicadas pelo UOL Esporte, os valores cobrados pela Fimavan na Justiça são de cerca de R$ 80 mil. O contrato firmado entre o clube e a empresa previa o fornecimento de caçambas para que entulhos e lixos fossem armazenados para que, de um a sete dias na semana, fossem recolhidos pela empresa especializada. Acontece, porém, que durante o período da pandemia o serviço foi diminuído e alguns acordos foram buscados, mas sem acerto.

Leia também:

A Fimavan teria afirmado à Justiça que busca, em contato direto com o Corinthians, o pagamento da dívida desde janeiro de 2021, há dois anos. A versão do clube seria de que e seria se que houve tentativa de negociar a dívida, mas que não houve sucesso. O departamento de comunicação do Corinthians informou que não comenta processos em andamento e, por isto, não será feito nenhum pronunciamento sobre o caso.

Um prazo de 15 dias foi dado pela Justiça do Estado de São Paulo para que a Coleta Industrial Fimavan anexe documentos que restam ao processo para que a ação judicial possa ter andamento, além de algumas correções que também foram exigidas pela entidade judicial.

O Corinthians volta a campo na próxima quarta-feira, às sete e meia da noite, contra o Água Santa, em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Paulista. A estreia, contra o RedBull Bragantino, foi de derrota por 1 a 0 no último domingo.