Coreia do Sul lamenta derrota "totalmente injusta" para Gana

Capitão e jogador-chave da Coreia do Sul, Son Heung-min

Por Manasi Pathak

AL RAYYAN, Catar (Reuters) - O assistente técnico da Coreia do Sul, Sérgio Costa, disse que a derrota desta segunda-feira por 3 x 2 para Gana foi um resultado injusto para a seleção asiática, cuja campanha na Copa do Mundo está em risco com a equipe na lanterna do Grupo H.

Dois gols de Cho Gue-sung não foram suficientes para que a Coreia do Sul conseguisse uma recuperação contra Gana, em uma partida em que os sul-coreanos dominaram no início, mas em que pagaram o preço por cometer erros e se viram em desvantagem de 2 x 0 no primeiro tempo.

A Coreia do Sul tem um ponto conquistado em um empate sem gols com o Uruguai na estreia e agora precisa vencer Portugal no último jogo do grupo, na sexta-feira, para ter alguma esperança de chegar às oitavas de final. Portugal e Uruguai se enfrentam mais tarde nesta segunda.

Costa falou na entrevista coletiva pós-jogo depois que o técnico Paulo Bento recebeu um cartão vermelho por seus protestos no final do jogo, quando o árbitro apitou com a Coreia do Sul prestes a cobrar um escanteio.

"Nos primeiros 25 minutos, conseguimos controlar o jogo com posse de bola, o que foi muito bom. Fizemos bons passes e cumprimos nossa estratégia para a partida. Após o primeiro gol, as coisas mudaram até o final do primeiro tempo", disse Costa.

"Naquele momento, perdemos o controle. O segundo tempo foi totalmente diferente -- tínhamos controle, posse de bola e criamos oportunidades de gol. O resultado é totalmente injusto. Nem mesmo um empate teria sido justo. Merecíamos claramente uma vitória... contem conosco para a próxima partida".

Os jogadores da Coreia do Sul caíram no chão desanimados depois do jogo, com o capitão e jogador-chave Son Heung-min em lágrimas.

Perguntado sobre a reação dos jogadores, Costa disse: "A reação é de um grupo que sentiu uma falta de justiça no final. É normal para alguém que fez tudo o que pôde para vencer, mas não conseguiu", afirmou.

"Acho que devemos estar tristes e ter um sentimento de falta de justiça, mas também devemos estar muito orgulhosos por termos dado tudo de nós no campo".

O cartão vermelho recebido por Bento significa que o português não estará no banco de reservas quando a Coreia do Sul enfrentar o país natal do treinador na próxima rodada.

"Ele não estará presente no dia do jogo e isso será uma perda para nós porque ele é um grande treinador... mas isso nos fará melhorar, estar unidos e reunir todas as nossas energias", acrescentou o assistente.