Coração de Lucca, filho de ex-goleiro do Cruzeiro, ajuda bebê de 11 meses

Valinor Conteúdo
LANCE!
Lucca com o pai, Elisson, ajudou uma vida a seguir em frente após a sua partida

Coração de Lucca, filho de ex-goleiro do Cruzeiro, ajuda bebê de 11 meses

Lucca com o pai, Elisson, ajudou uma vida a seguir em frente após a sua partida


Apesar da dor da perda, a família do goleiro Elisson, ex-Cruzeiro, teve um ato pela vida. O jogador, hoje no Nacional-SP, e sua esposa, Gisele, perderam o filho Lucca, de seis anos, em um acidente doméstico, que vitimou a criança na última quinta-feira.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

Após confirmar a morte do garoto, Elisson e sua família doaram o coração de Lucca para um bebê de apenas 11 meses, que vive em São Jose do Rio Preto, interior de São Paulo. A crianças passou por um transplante de coração no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de São José do Rio Preto nesta sexta-feira. De acordo com o hospital, esse foi o transplante de coração em paciente com a menor idade na história da instituição.

O bebê pesa apenas 8,9 quilos e está há 50 dias internado no HCM. Ele recebeu o órgão de Lucca Guilherme.

Segundo informações do hospital de São José do Rio Preto, o bebê, que é de de Jales, próximo a cidade paulista, nasceu com miocardiopatia dilatada, uma doença que faz o coração crescer de forma irregular, aumentando o tamanho e dificultando a função do órgão de fornecer sangue para o corpo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia mais:
- Dirigente garante permanência de Jair para 2019

- Solari é muito parecido com Zidane, diz ex-jogador do Real

- Barcelona quer um zagueiro experiente na próxima janela



Da internação ao transplante

Lucca Guilherme, filho do ex-goleiro do Cruzeiro, Elisson foi socorrido no dia 10 de novembro, após um armário cair em cima da criança enquanto brincava de bola na casa de parentes, em Betim, região metropolitana de BH.
O menino deu entrada na mesma data do acidente no Hospital Público Regional de Betim, com um quadro de traumatismo craniano. Lucca ficou em coma e teve uma piora no quadro, morrendo nesta quinta-feira, dia 15 de novembro.

Ao confirmar a morte de Lucca, o hospital de São José do Rio Preto agiu rápido, pois para um transplante desse tipo dar certo, a cirurgia tem que ocorrer no prazo de quatro horas, desde a retirada do corpo do doador, até chegar ao receptor.

Para que tudo desse certo, uma operação foi montada para levar o órgão de Lucca de Betim para o interior paulista.

Um jato foi disponibilizado pela Funfarme, instituição mantenedora do Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto, levou o médico especialista para a capital mineira e, em seguida, foi até até Betim para retirar o coração.

O médico levou o órgão consigo para o Hospital da Criança, que realizou o transplante em pouco mais de três horas depois de ter sido retirado do peito de Lucca.

A operação teve sucesso, mas o bebê segue na UTI cardiopetiátrica em um leito isolado e sob observação. O Hospital da Criança emitiu um comunicado informando que as próximas 72 horas serão decisivas para se avaliar como o bebê responderá ao novo órgão. O nome da criança que recebeu o órgão não foi divulgado e outro boletim será enviado ao público daqui dois dias.

 

Leia também