Coração, desejo e sina: Verdão vence Choque-Rei com gol de cobertura

Fellipe Lucena 
Dudu comemora gol contra o São Paulo (Gazeta Press)
Dudu comemora golaço diante de Rogério Ceni (Gazeta Press)

Foi com coração, desejo e a sina de derrotar o São Paulo com gol de cobertura, como cantaria Djavan, que o Palmeiras fez 3 a 0 no Choque-Rei deste sábado, pela oitava rodada do Paulistão. Pura rotina no Allianz Parque, onde só dá Verdão: quatro jogos contra o rival, quatro vitórias.

Depois de Robinho, que encobriu Rogério Ceni no Paulistão e no Brasileirão de 2015, no Allianz e no Morumbi, foi Dudu quem assinou a pintura em cima de Denis. O Mito dessa vez assistiu a tudo da beira do campo. Seu time, que não perdia havia nove jogos, não foi nem sombra do que vinha sendo. Tchê Tchê e Guerra fizeram os outros gols.

O duelo foi muito estudado e teve poucas oportunidades claras até a obra de arte do capitão palmeirense, aos 45 minutos do primeiro tempo. O São Paulo de Ceni era páreo duro até ali, mas sofria para encontrar espaços, até por estar sem Cueva. A marcação agressiva do Verdão obrigava o Tricolor a esticar a bola direto para o ataque se não quisesse ser surpreendido.

O golaço não teria saído se Douglas tivesse optado por um lançamento em vez de tocar curto para Buffarini, que foi desarmado com facilidade por Egídio. Dudu ficou com a sobra e a sua imensa qualidade tratou de fazer o resto.

O São Paulo voltou zonzo para o segundo tempo e passou a ser amassado pelo Palmeiras. Tchê Tchê, voltando de lesão, soltou a perna esquerda da entrada da área e ampliou a contagem logo aos 10 minutos. Os mais desatentos talvez nem tenham percebido que Wellington Nem havia entrado no lugar de Jucilei. Lucas Fernandes veio depois, na vaga de João Schmidt, mas já não havia como reagir.

Quando Borja substituiu Willian aos 21 e refez a afinada dupla com Guerra, letal no Atlético Nacional, o terceiro gol virou questão de tempo. O centroavante chutou para fora o presente que recebeu do meia três minutos depois de entrar, mas logo retribuiu e fez a jogada que terminou com Guerra colocando a bola na rede, aos 25. Depois disso, o que se viu foi um São Paulo entregue e um Palmeiras dando olé.

Apesar da derrota, o São Paulo segue liderando o Grupo B do Paulistão com 14 pontos. O próximo desafio é na quarta-feira, contra o ABC-RN, pela Copa do Brasil. O Verdão chegou aos 18 pontos, também na liderança de seu grupo, o C, e agora joga contra o Jorge Wilstermann, pela Libertadores, em casa.

PALMEIRAS 3 X 0 SÃO PAULO
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data-Hora: 11/3/2017 - 16h
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Auxiliares: Bruno Salgado Rizo e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa
Público/renda: 36.090 pagantes/R$ 2.309.892,74
Cartões amarelos: Tchê Tchê, Vitor Hugo e Thiago Santos (PAL), Rodrigo Caio, Cícero e João Schmidt (SAO)
Cartões vermelhos: -
Gols: Dudu (45'/1ºT) (1-0), Tchê Tchê (10'/2ºT) (2-0), Guerra (25'/2ºT) (3-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano (Jean, aos 32'/2ºT), Mina, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos; Michel Bastos, Tchê Tchê, Guerra e Dudu (Keno, aos 28'/2ºT); Willian (Borja, aos 21'/2ºT). Técnico: Eduardo Baptista.

SÃO PAULO: Denis, Buffarini, Douglas, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei (Wellington Nem, no intervalo), João Schmidt (Lucas Fernandes, aos 17'/2ºT) e Cícero; Thiago Mendes, Luiz Araújo (Araruna, aos 28'/2ºT) e Pratto. Técnico: Rogério Ceni.

E MAIS:

Leia também