Copa do Mundo: México na mira da Fifa por cantos homofóbicos contra Polônia


A Comissão Disciplinar da Fifa abriu um processo disciplinar contra a Federação Mexicana nesta quarta-feira por conta de cânticos homofóbicos vindos das arquibancadas, proferidos durante a partida entre México e Polônia, disputada na última terça-feira, pelo Grupo C da Copa do Mundo.

A entidade máxima do futebol alega que o artigo 13 do código disciplinar (relativo a atitudes discriminatórias contra um país, pessoa ou grupos) foi infringido. A Fifa fez o mesmo contra o Equador, no jogo da abertura do Mundial, também por cantos com teor homofóbico.

Um dos cânticos relatados foi direcionado ao atacante Robert Lewandowski. Após desperdiçar a cobrança de pênalti, torcedores mexicanos cantaram "El que no salta es polaco maricón" ("Quem não pula é um polonês gay", em tradução livre).

+ Veja a tabela da Copa do Mundo 2022

O México pode ser punido e perder o mando de campo por um jogo na próxima edição das Eliminatórias. Não é a primeira vez que torcedores mexicanos protagonizam cantos com este teor nas arquibancadas. Na Copa do Mundo de 2014 no Brasil, gritos homofóbicos contra goleiros adversários eram comuns.

+ Ochoa revela que estudou pênaltis de Lewandowski: 'Sempre difícil'

O próximo jogo da seleção mexicana no Mundial do Qatar será na sexta-feira diante da Argentina, válido pela segunda rodada do Grupo C do torneio, às 16h (de Brasília).