Copa do Mundo: impedimento semiautomático anula gol do Equador contra o Qatar; entenda a tecnologia

Estrada, do Equador, estava em impedimento no gol anulado do Equador (Foto: Divulgação/Fifa)


A Copa do Mundo de 2022 precisou de apenas dois minutos de bola rolando para ter a primeira polêmica de arbitragem. Enner Valencia abriu o placar para o Equador contra o Qatar após saída errada do goleiro, mas o lance foi anulado por um impedimento de Estrada.

Após toda celebração dos jogadores do Equador pelo primeiro gol da Copa, o árbitro italiano Daniele Orsato teve que esperar mais de dois minutos para ouvir da cabine do VAR, comandada pelo também italiano Massimiliano Irrati, que o gol deveria ser anulado por conta da posição irregular.

+ Quem joga segunda-feira na Copa do Mundo? Veja horários dos jogos

Mas a expectativa pelas famosas linhas do VAR dominou quem assistia ao jogo pela TV. A Fifa demorou cerca de 10 minutos para exibir a imagem 3D da tecnologia do impedimento semiautomático, novidade para esta edição da Copa do Mundo. Mas como funciona o processo dessa análise?

ENTENDA A TECNOLOGIA
Mesmo com as 12 câmeras de rastreamento montadas dentro do estádio, além da captação da movimentação dos jogadores com até 29 pontos do corpo de cada atleta e com um sensor na bola que envia dados 500 vezes por segundo para a sala de vídeo central do VAR, a transmissão oficial demorou para exibir tanto para o mundo, quanto para os torcedores presentes no Al Bayt Stadium, a posição irregular de Estrada durante o lance.

O impedimento semiautomático é a grande novidade em termos de tecnologia nesta Copa. Antes do juiz de campo ser informado de qualquer decisão apontada pela inteligência artificial, o VAR verifica e decide se aciona o árbitro ou não.

Após finalizada a análise, a tecnologia cria uma imagem automaticamente para amostrar a irregularidade na jogada. A animação 3D será colocada no telão do estádio, para todos os torcedores entenderem os motivos das marcações.