Copa do Mundo: Argentina é a seleção mais querida e rejeitada pela torcida brasileira, aponta pesquisa

Falem bem ou mal, os brasileiros na maioria das vezes estão falando da Argentina. É o que aponta uma pesquisa do IBPAD (Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados), à qual O GLOBO teve acesso, sobre as preferências de torcedores entre as seleções nas quartas de final da Copa do Mundo do Catar. Segundo o levantamento, 33% apontaram a equipe de Messi como sua “segunda seleção” na torcida para vencer o Mundial, depois do Brasil. Os argentinos também aparecem no topo no ranking de “torcida contra”: 60% não querem um título dos “hermanos” de jeito nenhum.

O levantamento foi realizado na última segunda-feira, após a goleada do Brasil sobre a Coreia do Sul, com 1.588 pessoas, pela internet. Embora a Argentina tenha sido mais mencionada do que Portugal como seleção pela qual os brasileiros torcem, para cada resposta favorável aos argentinos houve duas, aproximadamente, que se mostraram contrárias a um título para Messi e os colegas.

— É uma relação de amor e ódio. Parece envolver a questão do regionalismo. Por um lado, é torcer por um vizinho nosso. Por outro, existe uma maior rivalidade justamente por estar tão próxima — observou o diretor-executivo do IBPAD, Max Stabile.

De acordo com a pesquisa, a maior preferência pelos argentinos aparece na Região Sul, vizinha ao país, com 41% declarando torcida a favor. Já a maior rejeição se encontra na faixa etária dos 25 aos 34 anos, fenômeno que, para Stabile, pode ter relação com o auge da rivalidade futebolística entre Brasil e Argentina — em 1990, única vez em que as duas seleções se enfrentaram em um mata-mata de Copa, os argentinos venceram um jogo famoso pela “água batizada” dada ao lateral-esquerdo Branco.

A França, segunda seleção que mais atrai torcida contra, derrotou o Brasil na final da Copa de 1998, eliminou a seleção nas quartas de final em 2006 e, além de atual campeã, é tida como uma das favoritas ao título em 2022.

A pesquisa mostra que uma parcela dos respondentes torce contra o Brasil: 11%. A maioria, no entanto, está confiante no título: 73,7% veem a seleção brasileira com “muitas chances” de ser campeã.