Copa do Mundo: agenda de jogos do Grupo B, análise dos times e convocados


O segundo dia da Copa do Mundo abre alas para o grupo B da competição. Os quatros times presentes na chave entraram em campo nesta segunda-feira (21), com Inglaterra e Irã se enfrentando às 10h (horário de Brasília), e Estados Unidos e País de Gales duelando às 16h (também horário de Brasília).

+ Veja comparações de figurinhas de jogadores veteranos da Copa do Mundo

Campeã mundial em 1966, a Inglaterra é a cabeça de chave e favorita para avançar na liderança do grupo. Porém, a presença de Gales também tem a sua elegância, já que, além de voltar à competição após 64 anos, ela traz atletas do tamanho de Aaron Ramsey e Gareth Bale. Os estadunidenses e iranianos correm por fora na busca pela classificação às oitavas de final.

VEJA A AGENDA DE JOGOS DO GRUPO

PRIMEIRA RODADA


Inglaterra x Irã, 21/11, às 10h, estádio internacional Khalifa
Estados Unidos x País de Gales, 21/11, às 16h, estádio Ahmad Bin Ali

SEGUNDA RODADA

País de Gales x Irá, 25/11, às 7h, estádio Ahmad Bin Ali
Inglaterra x Estados Unidos, 25/11, às 16h, estádio Al Bayt

TERCEIRA RODADA

Irã x Estados Unidos, 29/11, às 16h, estádio Al Thumama
País de Gales x Inglaterra, 29/11, às 16h, estádio Ahmad Bin Ali

*horário de Brasília

INGLATERRA

Chega com uma das melhores gerações para voltar a vencer um título, o que não ocorre há 56 anos, desde a conquista mundial de 1966. Doze dos 26 convocados para esta edição da Copa do Mundo estiveram na última edição, em 2018, na Rússia, onde o English Team chegou até a semifinal.

Harry Kane (Inglaterra)
Harry Kane (Inglaterra)

Harry Kane é o principal jogador da Inglaterra nesta Copa do Mundo (Foto: JUAN MABROMATA / AFP)

Três anos mais tarde, os ingleses chegaram ao vice-campeonato europeu, perdendo a final para a Itália, nos pênaltis. Dezenove jogadores que estiveram nesta campanha estarão também no Qatar, neste ano.

O técnico Gareth Southgate é o mesmo em todos esses campeonatos e teve problemas às vésperas do Mundial, perdendo os laterais Reece James e Ben Chilwell, ambos do Chelsea, por lesões. O também lateral Kyle Walker, do Manchester City, está com a delegação inglesa, mas como fez uma cirurgia na virilha há cerca de dois meses será ausência para o jogo de estreia, contra o Irã, nesta segunda-feira (21).

Surpresa na lista, o meia James Maddison, do Leicester, sentiu um problema na perna no último jogo antes de se integrar ao elenco da Inglaterra. Ele não participou dos primeiros treinamentos da sua seleção no Qatar e tem grandes chances de ser cortado da primeira partida dos ingleses no Mundial.

A grande estrela dos Três Leões na Copa segue sendo Harry Kane. Artilheiro na última edição do Mundial, o atacante do Tottenham segue em busca do seu primeiro título na carreira. Ele também é o capitão da seleção inglesa na Copa e utilizará uma braçadeira com as cores do arco-íris, em apoio ao movimento ‘OneLove’, em defesa da comunidade LGBTQIA+. O Qatar, país sede desta edição do Mundial, criminaliza a prática homossexual.

CAMPANHA NAS ELIMINATÓRIAS

Se classificou para a Copa do Mundo sem dificuldades. Líder do Grupo I nas Eliminatórias, não perdeu partida alguma, registrando oito vitórias e dois empates em 10 jogos. Entre os triunfos estiveram goleadas sobre Albânia, Hungria, Andorra e a principal delas um 10 a 0 sobre San Marino, na última rodada.

Na chave em que os ingleses passaram na primeira colocação, a Polônia ficou em segundo, indo para a repescagem e se classificando para a Copa ao passar pela Suécia - antes também enfrentaria a Rússia, mas foi promovida por W.O, já que o país adversário foi excluído da Copa por conta das invasões ao território ucraniano.

AGENDA DE JOGOS

- Inglaterra x Irã, 21/11, às 10h, estádio internacional Khalifa
- Inglaterra x Estados Unidos, 25/11, às 16h, estádio Al Bayt
- País de Gales x Inglaterra, 29/11, às 16h, estádio Ahmad Bin Ali

*horário de Brasília

CONVOCADOS

Goleiros: Jordan Pickford (Everton), Nick Pope (Newcastle) e Aaron Ramsdale (Arsenal);

Laterais: Kieran Trippier (Newcastle), Trent Alexander-Arnold (Liverpool), Ben White (Arsenal) e Luke Shaw (Manchester United);

Zagueiros: John Stones (Manchester City). Harry Maguire (Manchester United), Eric Dier (Tottenham) e Conor Coady (Everton).

Meio-campistas: Declan Rice (Wets Ham), Jordan Henderson (Liverpool), Kalvin Phillips (Manchester City), Mason Mount (Chelsea), Jude Bellingham (Borussia Dortmundo-GER), James Maddison (Leicester) e Conos Gallagher (Chelsea);

Atacantes: Jack Grealish (Manchester City), Harry Kane (Tottenhuam), Raheem Stlerling (Chelsea), Macus Rashford (Manchester United), Bukayo Saka (Arsenal), Phil Goden (Manchester City) e Callum Wilson (Newcastle).

TIME BASE: Jordan Pickford; John Stones, Eric Dier e Harry Maguire; Kyle Walker, Declan Rice, Jude Bellingham e Luke Shaw; Bukayo Saka, Harry Kane e Raheem Sterling. Técnico: Gareth Southgate

ESTADOS UNIDOS

Fora da Copa do Mundo de 2018, a seleção dos Estados Unidos passou por uma reformulação neste ciclo de quatro anos e voltou ao Mundial. Nomes como Altidore e Bradley, grandes ídolos do US Team, deram espaços para atletas mais novos, como Pulisic, Musah e Giovanni Reyna, filho do ex-meia Claudio Reyna, que disputou as Copa de 1994, 1998, 2002 e 2006 pelos Estados Unidos.

Pulisic
Pulisic

Atleta do Chelsea, Pulisic é a grande estrela da seleção dos Estados Unidos (Foto: Divulgação/Pulisic)

Ainda que a geração tenha bons valores individuais, há pouca experiência e uma certa inconsistência, que ficou clara nos últimos três resultados dos estadunidenses, nos amistosos contra Japão e Arábia Saudita. Os Estados Unidos empataram sem gols com os árabes e perderam por 2 a 0 para os japoneses. Antes, havia empatado em 1 a 1 com El Salvador, em um jogo pela Liga das Nações da Concacaf.

CAMPANHA NAS ELIMINATÓRIAS

Ficou na terceira colocação nas eliminatórias da Concacaf, beliscando a última vaga direta ao Mundial entre as seleções da América do Norte. Venceu sete dos 14 jogos, empatando quatro e perdeu três, ficando atrás do Canadá e do México na classificação final.

AGENDA DE JOGOS

- Estados Unidos x País de Gales, 21/11, às 16h, estádio Ahmad Bin Ali
- Inglaterra x Estados Unidos, 25/11, às 16h, estádio Al Bayt
- Irã x Estados Unidos, 29/11, às 16h, estádio Al Thumama

*horário de Brasília

CONVOCAÇÃO:

Goleiros:
Matt Turner (Arsenal/ENG), Ethan Horvath (Luton Town/ENG) e Sean Johnson (New York City FC);

Laterais: Sergiõ Dest (Milan/ITA), Shaq Moore (Nashville), Carter-Vickers (Celtic-ESC), DeAndre Yedlin (Inter Miami), Joe Scally (Borussia M'gladbach/GER) (Antonee Robinson (Fulham/ENG);

Zagueiros: Walker Zimmerman (Nashville SC), Tim Ream (Fulham/ENG), Aaron Long (NY Red Bulls);

Meio-campistas: Tyler Adams (Leeds Unite/ENG), Yunus Musah (Valencia/ESP), Giovanni Reyna (Borussia Dortmund/GER), Weston McKennie (Juventus/ITA), Brenden Aaronson (Leeds United/ENG), Luca de la Torre (Celta de Vigo/ESP), Cristian Roldán (Seattle Sounders) e Kellyn Acosta (Los Angeles FC);

Atacantes: Jesús Ferreira (FC Dallas), Christian Pulisic (Chelsea/ENG), Joeedan Morris (Seattle Sounders), Jahi Wright (Antalyaspor/TUR), Timothy Weah (Lille/FRA) e Josh Sargent (Norwich City).

TIME BASE: Matt Turner; Sergiño Dest, Walker Zimmerman, Aaron Long e Antonee Robinson; Tyler Adams, Yunus Musah e Weston McKennie; Timothy Weah, Jesús Ferreira e Christian Pulisic. Técnico: Gregg Berhalter.

IRÃ

O Irã chega à Copa do Mundo com questões políticas chamando mais atenção do que a parte esportiva. Primeiro, por conta da volta do técnico português Carlos Queiroz após a seleção conseguir a classificação ao Mundial sem sustos. Depois, por conta de manifestações políticas de alguns jogadores importantes, como o atacante Sardar Azmoun. Chegou até mesmo a ser cogitada a não convocação do jogador, após ele criticar a polícia religiosa do seu país, que matou a jovem Mahsa Amini, de 22 anos, por ela estar usando o seu véu corretamente. Por fim, Azmoun foi convocado, mas o clima dele com o governo iraniano está longe de ser dos melhores.

Sardar Azmoun, com a camisa da seleção do Irã
Sardar Azmoun, com a camisa da seleção do Irã

Pivô de polêmica com o governo iraniano, Sardar Azmoun defende o Bayer Leverkusen, da Alemanha (Foto: Reprodução)

O principal destaque da seleção iraniana é o atacante Mehdi Taremi, que atua pelo Porto, de Portugal. O atleta vai para a disputa do seu segundo Mundial. Em 2018, ele esteve em campo nas três partidas que o Irã disputou, mas não marcou gols. Agora, o objetivo é deixar a sua marca na Copa do Mundo.

CAMPANHA NAS ELIMINATÓRIAS

O Irã se classificou para a Copa do Mundo com muita facilidade. No total, foram 18 jogos, com 14 vitórias, um empate e somente três derrotas.

Na primeira fase, a seleção iraniana deixou para trás Bahrein, Hong Kong e Camboja, sendo o primeiro colocado e passando ao lado do Iraque. Ficou no topo da fase decisiva, sendo promovida ao Mundial junto com a Coreia do Sul - os Emirados Árabes beliscaram a repescagem, mas foi derrotado pela Austrália. Iraque, Síria e Líbano foram os países que ficaram pelo caminho em um segundo momento.

AGENDA DE JOGOS

- Inglaterra x Irã, 21/11, às 10h, estádio internacional Khalifa
- País de Gales x Irá, 25/11, às 7h, estádio Ahmad Bin Ali
- Irã x Estados Unidos, 29/11, às 16h, estádio Al Thumama

*horário de Brasília

CONVOCAÇÃO

Goleiros: Alireza Beiranvand (Persepolis), Payam Niazmand (Sepahan) e Amir Abedzadeh (Ponferradina/ESP);

Laterais: Sadegh Moharrami (Dinamo Zagreb/CRO), Ramin Rezaeian (Sepahan), Ehsan Hajsafi (AEK/GRE), Abolfazl Jalalie (Esteghlal Tehran) e Milad Mohammadi (AEK/GRE);

Zagueiros: Morteza Pouraliganji (Persepolis), Shojae Khalilzadeh (Al Ahli/QAT), Hossein Kanaani (Al Ahli/QAT), Roozbeh Cheshmi (Esteghlal Tehran), Majid Hosseini (Kyserispor/TUR);

Meio-campistas: Saeid Ezatolah (Vejle BK/DIN), Saman Ghoddos (Brentford/ENG), Ali Gholizadeh (Charleroi/BEL), Ali Karimi (Kayserispor/TUR), Ahmad Nourollah (Al Ahli/EAU);

Atacantes: Alireza Jahanbakhsh (Ferynoord/NED), Mehdi Taremi (Porto/POR), Karim Ansarifard (Omonia/CHP), Vahid Amiri (Persepolis), Mehdi Torab (Persepolis) e Sardar Azmoun (Bayer Leverkusen/GER).

TIME BASE: Beiranvand, Moharrami, Kanaani, Pouraliganji e Hajsafi; Ezatolahi; Jahanbakhsh, Ghoddos, Nourollahi e Taremi; Azmoun. Técnico: Carlos Queiroz.

PAÍS DE GALES

Atuando no Los Angeles FC, dos Estados Unidos, o atacante Gareth Bale está longe do seu auge, entre os anos de 2010 e 2016, vestindo as camisas de Tottenham e Real Madrid. Ainda assim, o camisa 11 foi fundamental para levar o País de Gales de volta à Copa do Mundo, o que não acontecia desde 1958 - na ocasião, a seleção galesa havia sido eliminada para o Brasil, nas quartas de final, com gol de Pelé.

Bale - País de Gales
Bale - País de Gales

Bale é a grande estrela da seleçao galesa (Foto: John THYS / AFP)

Outro grande jogadores dessa geração galesa é o meia Aaron Ramsey. Atualmente no Nice, da França, ele já foi um dos grandes nomes de clubes como Arsenal e Juventus.

Um dos grandes nomes da história do futebol galês, o ex-meio-campista Ryan Giggs iniciou o trabalho que levou a seleção local ao Mundial. Ele que foi o técnico que iniciou o ciclo, mas foi dispensado do cargo em abril do ano passado, após acusações de agressão que partiram de uma ex-namorada. Robert Page, que era auxiliar de Giggs, foi o responsável por manter a seleção galesa em alta até chegar à classificação à Copa do Mundo.

CAMPANHA NA ELIMINATÓRIAS

Precisou da repescagem para garantir o lugar na Copa após mais de seis décadas, passando por Áustria e Ucrânia. Contra os austríacos, o ídolo do futebol galês Gareth Bale marcou os dois gols na vitória por 2 a 1, já diante dos ucranianos o tento que definiu a volta do País de Gales aos Mundiais foi marcado contra, por Andriy Yarmolenko.

Antes, os galeses ficaram na segunda colocação do grupo E, na primeira fase, tendo campanha pior somente do que a Bélgica, que se garantiu de forma direta na Copa do Mundo.

Com quatro vitórias, três empates e somente uma derrota, em oito jogos, o País de Gales ficou na frente de República Tcheca, Estônia e Belarus.

AGENDA DE JOGOS

- Estados Unidos x País de Gales, 21/11, às 16h, estádio Ahmad Bin Ali
- País de Gales x Irá, 25/11, às 7h, estádio Ahmad Bin Ali
- Irã x Estados Unidos, 29/11, às 16h, estádio Al Thumama

*horário de Brasília

CONVOCAÇÃO

Goleiros: Wayne Hennessey (Nottingham Forest/ENG), Danny Ward (Leicester/ENG) e Adam Davies (Sheffield United);

Laterais: Chris Gunter (Wimbledon/ENG), Neco Williams (Nottingham Forest/ENG) e Connor Roberts (Burnley/ENG);

Zagueiros: Ben Davies (Tottenham/ENG), Chris Mepham (Bournemouth/ENG), Joe Rodon (Rennes/FRA), Ethan Ampadu (Spezia/ITA), Tom Lockyer (Luton Town/ENG) e
5.Ben Cabango (Swansea);


Meio-campistas: Joe Allen (Swansea City), Harry Wilson (Fulham/ENG), Aaron Ramsey (Nice/FRA), Joe Morre (Portsmouth/ENG), Jonny Williams (Swindon Town/ENG), Dylan Levitt (Dundee United), Rubin Colwill (Cardiff) e Matt Smith (MK Dons/ENG);

Atacantes: Brennan Johnson (Nottingham Forest/ENG), Gareth Bale (Los Angeles FC/EUA), Kieffer Moore (Bournemouth/ENG), Mark Harris (Cardiff City), Daniel James (Fulham/ENG) e Sorba Thomas (Huddersfield/ENG).

TIME BASE: Wayne Hennessey; Ethan Ampadu, Joe Rodon e Ben Davies; Connor Roberts, Joe Allen, Aaron Ramsey e Neco Williams; Gareth Bale, Daniel James e Kiefer Moore. Técnico: Rob Page,