Copa dia 6: sextou com soccer, cerveja (sem álcool) e façanha

Cheshmi e Jahanbakhsh, da seleção iraniana, comemoram após vitória na Copa do Mundo do Catar. Foto: Liu Lu/VCG via Getty Images
Cheshmi e Jahanbakhsh, da seleção iraniana, comemoram após vitória na Copa do Mundo do Catar. Foto: Liu Lu/VCG via Getty Images

Sexto dia de Copa! Sexta estrela! Sextou em Doha! Tudo e mais aqui!

Delírio iraniano, polêmica de arbitragem e uma festa estranha com gente esquisita que chama o futebol por outro nome.

FAÇANHA

Nem tudo é tristeza pros torcedores do Irã, que refletem nas arquibancadas a agitação que toma conta do país, passando por protestos pelos direitos das mulheres há quase dois meses. Após um jogo enrolado, no qual acertou a trave duas vezes, o time iraniano marcou dois gols no tempo além dos acréscimos e venceu o País de Gales por 2 a 0. Rouzbeh Cheshmi e Ramin Rezaeian fizeram aos 53 e 56 minutos do segundo tempo os gols que levaram a torcida ao delírio no Estádio Al-Rayyan. Com isso o Irã depende apenas de si mesmo para conseguir avançar às oitavas-de-final.

DEU RUIM

Neymar e Danilo, que saíram de campo lesionados após vitória do Brasil sobre a Sérvia, ficarão fora dos dois próximos jogos pela fase de grupos, e ainda tem futuro incerto na competição. s dois sofreram lesões ligamentares e ainda não tem retorno previsto aos gramados.

Leia também:

E-LI-MI-NA-DA

A primeira eliminação da Copa do Catar aconteceu nessa sexta-feira, e foi logo da dona da casa. Após sua segunda derrota a seleção catari joga sua última partida contra a Holanda na terça-feira já sem chances de classificação para as oitavas-de-final. O último país-sede que havia ficado na fase de grupos foi a África do Sul em 2014. Pelo menos uma alegria os torcedores anfitriões puderam ter na derrota para Senegal por 3 a 1: Mohammed Muntari marcou o primeiro gol do país em Copas do Mundo. Com isso, 75 dos 80 países que já participaram de mundiais marcaram ao menos um gol na história, com o Canadá podendo aumentar a lista ainda nessa edição.

POLÊMICA

A arbitragem segue dando assunto no Catar. Hoje o assunto foi a anulação de um gol do Equador por obstrução da visão do goleiro por parte de um jogador que estava em impedimento. O zagueiro equatoriano Jackson Porozo não toca na bola, mas sua presença perto do goleiro foi o suficiente para a arbitragem decidir que houve interferência dele na jogada. O Equador ficou no empate em 1 a 1 com a Holanda e decide seu futuro contra o Senegal, na próxima rodada.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

EMOÇÃO

A execução dos hinos nacionais no jogo País de Gales e Irã nos reservou um dos momentos mais tocantes dessa Copa do Mundo. Durante o hino de Gales novamente torcida e jogadores cantaram a plenos pulmões a canção "Yma o Hyd”, que é um símbolo da resistência cultural galesa frente ao governo central do Reino Unido, do qual faz parte. Esse resgate da identidade de Gales motivou até a ideia de se alterar o nome do país para Cymru - o nome do país na língua galesa - em competições internacionais de futebol.

Torcedores do País de Gales cantando
Torcedores do País de Gales cantando "Hen Wlad Fy Nhadau". Foto: Adam Davy/PA Images via Getty Images

Antes do hino do Irã havia curiosidade se os jogadores cantariam o hino ou não, já que na primeira rodada eles permaneceram em silêncio. Dessa vez, porém, mesmo que timidamente, a seleção iraniana entoou a canção, sob vaias e aplausos da própria torcida. Existem relatos de que os atletas mudaram de postura por medo de represálias do governo. Novamente torcedores iranianos foram flagrados pelas câmeras chorando muito depois da reprodução do hino.

Torcedores iranianos se manifestam contra o hino do próprio país, em apoio aos manifestos ocorrendo por todo Irã. Foto: ADRIAN DENNIS/AFP via Getty Images
Torcedores iranianos se manifestam contra o hino do próprio país, em apoio aos manifestos ocorrendo por todo Irã. Foto: ADRIAN DENNIS/AFP via Getty Images

INSISTE EM ZERO A ZERO, EU QUERO UM A UM

Inglaterra e Estados Unidos fizeram um esperado encontro pelo grupo B, mas não saíram do 0 a 0, o quinto jogo com esse placar na competição.

A única nota do jogo foram os torcedores americanos cantando “it’s called soccer!” (”se chama soccer!”) para irritar os rivais ingleses, que, assim como nós, conhecem o esporte por “football”. A julgar pelo que apresentaram reino e ex-colônia no dia de hoje é melhor chamarem de soccer mesmo…

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.