Copa América terá teste de Covid-19 a cada 48 horas e equipes trancadas no hotel

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 08.11.2018 - O ex-jogador e comentarista Walter Casagrande Júnior. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 08.11.2018 - O ex-jogador e comentarista Walter Casagrande Júnior. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Saúde divulgou informações sobre os protocolos de segurança na Copa América na noite desta segunda-feira (7). Pelas regras, os jogadores deverão ser testados a cada 48 horas e não poderão sair do hotel, exceto para ir aos treinos ou por questão de saúde.

O protocolo foi dividido em fases: viagem, hospedagem, testagem, treinos, jogos e retorno das equipes aos países de origem. As delegações, assim que chegarem ao Brasil, serão testadas dentro dos hotéis. Elas devem ficar em quartos e andares separados.

Em coletiva de imprensa na qual ocorreu o anúncio do protocolo, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, avaliou que a Copa América não é um campeonato de grande dimensão e que não há nenhum óbice legal para a sua realização no país.

Entre jogadores e comissões técnicas das dez seleções, haverá 650 pessoas envolvidasw no torneio, além de 450 ligadas à Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol).

"Não é um campeonato de grande dimensão. Partindo do pressuposto de que a prática de atividade esportiva competitiva está acontecendo normalmente no país --inclusive os campeonatos de futebol das divisões, Taça Libertadores da América, Sul-Americana, Eliminatórias da Copa do Mundo--, considerando também que os cidadãos dos países representados na Copa América têm autorização de entrada no Brasil, respeitadas as condições sanitárias, não há vedação", disse Queiroga.

O anúncio da pasta ocorreu no mesmo dia em que jogadores da seleção brasileira e a comissão técnica decidiram que vão jogar a Copa América no Brasil, com início em 13 de junho.

A possibilidade de boicote chegou a ser ventilada quando Rogério Caboclo ainda era o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). O dirigente foi afastado do cargo por 30 dias após ser acusado de assédio sexual por sua secretária na entidade.

O grupo, no entanto, ainda divulgará um manifesto contrário à realização do evento no país devido ao recrudescimento da pandemia de Covid-19. Desde o anúncio da Conmebol de que a Copa América seria disputada no Brasil, depois de ter sido rejeitada pela Argentina e a Colômbia, os jogadores se rebelaram.

Antônio Carlos Nunes de Lima, o coronel Nunes, assumiu a presidência provisória da CBF por ser o vice mais velho. Ele ocupou o cargo de fevereiro de 2017 a abril de 2019, no período entre o banimento de Marco Polo Del Nero e a posse de Caboclo, eleito para ficar até 2023.