Copa América no Brasil, a sede menos cogitada após uma ano de indefinições

·2 minuto de leitura
O troféu da Copa América erguido pelo Brasil em 2019

A Conmebol anunciou nesta segunda-feira que a Copa América terá como sede o Brasil, um ano após o adiamento do torneio sul-americano de seleções por conta da pandemia de covid-19 e depois de reviravoltas que impediram sua realização na Colômbia e Argentina, como previsto originalmente.

Março de 2020 - A pandemia adia o evento

Em março de 2020, a Conmebol adiou por um ano a realização da 47ª edição da Copa América, devido à “evolução global e regional do coronavírus”.

Uma decisão em linha com o adiamento da Eurocopa. Naquela época, o covid-19 estava atingindo com força a Europa e os primeiros grandes surtos estavam começando a surgir na América do Sul.

Fevereiro de 2021- Catar e Austrália desistem

A pandemia deixou o torneio sem seus dois convidados. Tanto o Catar quanto a Austrália anunciaram que desistiram da competição citando problemas de calendário e em meio ao avanço de uma pandemia de coronavírus.

20 de maio - Colômbia pede novo adiamento

Imersa em uma profunda crise social, com dezenas de mortos, a Colômbia pediu no dia 20 de maio o adiamento da realização da Copa - prevista para começar em 13 de junho - até "o final deste ano".

Enquanto fortes distúrbios atingem Bogotá, Medellín e Cali, planejadas como sedes do torneio, o governo colombiano solicitou a mudança de data para "realizar este evento da melhor maneira possível com os torcedores nos estádios".

20 de maio - Colômbia é descartada

A Conmebol respondeu imediatamente ao pedido da Colômbia, vetando o adiamento do torneio e tirou a co-organização do centenário campeonato sul-americano de seleções.

A entidade não deu ouvidos ao pedido dos colombianos para adiar a competição pela segunda vez e anunciou que ele seria realizado apenas na Argentina.

30 de maio- Adeus, Argentina

Em meio a uma onda de boatos que colocavam o torneio no Chile, nos Estados Unidos e até no Catar, a Conmebol surpreendeu nesta segunda-feira ao definir o Brasil como sede.

Com mais de 450.000 mortes e 16,5 milhões de casos de covid-19, o Brasil não estava no mapa dos torcedores para receber a Copa América, dois anos depois de sediar a última edição do evento (2019).

O atual campeão do torneio terá agora a responsabilidade de sediar uma nova edição da Copa em meio à pandemia, completando assim uma sequência inigualável de grandes eventos que começou em 2014 com a organização da Copa do Mundo de Futebol, seguida pelos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro e a própria Copa América em 2019.

gfe/ol/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos