Copa América no Brasil é inoportuna e desaconselhável, diz conselho de secretários de Saúde

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) enviou uma carta ao presidente do Fórum dos Governadores, Wellington Dias (PT-PI), na qual classifica como inoportuna e desaconselhável a realização no Brasil de qualquer campeonato esportivo capaz de gerar aglomeração, como a Copa América.

A carta é assinada por Carlos Lula, presidente do Conass e secretário de Saúde do Maranhão.

O documento enumera quatro razões para desaconselhar a realização da competição em território nacional: variantes da Covid-19 podem ser disseminadas rapidamente, eventos de aglomeração demonstraram capacidade de adoecer grande número de pessoas após a ocorrência, é difícil de implementar medidas de proteção nessas situações e as pessoas, mesmo que vacinadas, podem se contaminar ou disseminar o vírus.

Na carta, o Conass enumera os eventos tradicionais que geraram piora nos índices da pandemia no Brasil semanas após as suas ocorrências: Semana Santa, em abril, Dia das Mães, em maio, eleições municipais, em outubro, Natal, em dezembro, Ano Novo, em janeiro, Carnaval, em março.

A possibilidade de alastramento da variante indiana do vírus é colocada como algo que torna ainda mais perigosa a realização da Copa América no país, afirmam os secretários na carta.

Nesta terça-feira (1º), o presidente Jair Bolsonaro defendeu a realização do evento no Brasil.

"No que depender de mim, todos os ministros —inclusive o da Saúde— já está acertado, haverá [Copa América no Brasil]. Protocolo é o mesmo da Libertadores, da Sul-Americana, é a mesma coisa", disse Bolsonaro, ao sair do Palácio da Alvorada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos