Copa América no Brasil é alvo de ações de partidos políticos junto ao STF

·1 minuto de leitura

A Conmebol pulou à frente da CBF e do governo nacional e informou a realização da Copa América em solo brasileiro. No entanto, um dia após o anúncio, não há nada definido. Pelo contrário. O país, por meio da presidência da República, ainda não confirmou a realização do evento - embora o aval do presidente da República -, e pipocam ações no Supremo Tribunal Federal, por parte de partidos políticos, na tentativa de barrar o evento.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Na noite de segunda-feira, depois de o Partido dos Trabalhadores (PT) ajuizar pedido na Suprema Corte, foi a vez de o Partido Socialista Brasileiro (PSB) tomar o mesmo caminho. Foi encaminhado um mandado de segurança coletivo, assinado pelo deputado mineiro Julio Delgado. Na opinião da sigla, a competição “veicula flagrante violação a direitos difusos da coletividade protegidos pela Constituição Federal”.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O mesmo parlamentar, aliás, lidera uma ação popular, junto ao Tribunal Regional Federal da 1ª região contra a Copa América. O alvo da mesma é a União através do seu principal representante, Jair Bolsonaro. Ao mesmo tempo, a tentativa de trazer a disputa para o Brasil depois da desistência de Colômbia e Argentina motiva pedidos para se ouvir o presidente da CBF, Rogério Caboclo, na CPI da Covid no Senado Federal.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos