Governo confirma Copa América no Brasil; Rio de Janeiro e estados do Centro-Oeste 'abrigarão' jogos

·2 minuto de leitura


Após mais de 24 horas de muito mistério e negociações, a Copa América começou a ser delineada. Em solenidade realizada no Ministério da Saúde realizada nesta terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro oficializou a competição e já indicou que há quatro sedes: Rio de Janeiro, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal.

- Escolhemos as sedes em comum acordo, obviamente, com os governadores. Agora, já tivemos quatro governadores: aqui de Brasília, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás - e emendou:

- E mais um agora, que chegou um pouco atrasado, também se prontificando a sediar a Copa América. Então, ao que tudo indica, prezado (Marcelo) Queiroga, seguindo os mesmos protocolos, o Brasil sediará a Copa América - completou.

No fim da tarde desta terça-feira, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos utilizou seu Twitter tanto para confirmar a realização da competição quanto para dizer quais as suas quatro cidades-sede.

O Rio de Janeiro será um dos locais que receberá partidas. No mais, o torneio se voltará para o Centro-Oeste, com jogos no Mato Grosso, Distrito Feral e Goiás. O ministro declarou:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

"Confirmada a Copa América no Brasil. Venceu a coerência! O Brasil que sedia jogos da Libertadores, Sul-Americana, sem falar nos campeonatos estaduais e Brasileiro, não poderia virar as costas para um campeonato tradicional como este. As partidas serão em MT, RJ, DF e GO, sem público", detalhou.

Ao optar por "herdar" a Copa América, a CBF inicialmente pensava em voltar suas atenções para estádios de grande porte ou construídos para a Copa do Mundo de 2014. Contudo, de acordo com o UOL, devido às sucessivas recusas no Nordeste e problemas em relação ao calendário (que inviabilizariam a realização de jogos em Minas Gerais e São Paulo), a opção foi por uma concentração de jogos no Centro-Oeste.

O governo informou que foi consultado, por meio da CBF sobre a possibilidade de receber a Copa América após as desistências de Colômbia e Argentina, que iriam sediar a competição. Ambas as sedes têm aumento significativo de casos de Covid-19 e, no caso da Colômbia, ainda há uma crise social e política.

- Não tínhamos porque ter qualquer posição contrária - afirmou o presidente da República, Jair Bolsonaro, ressaltando que seu ministério foi unânime em relação ao acordo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos