Contra 'pedra no sapato' de Dorival, Santos busca afirmação de jogo ideal

Gabriela Brino 
Para desbancar o Palmeiras, seu principal rival na competição do Paulista, técnico quer manter o ritmo ofensivo e aposta na boa estruturação da equipe

Depois de um início ruim no Paulistão, o Santos começa a reagir e o clássico contra o Palmeiras, neste domingo, às 18h30, na Vila Belmiro, pode ser o ato de consolidação dessa reação. Na segunda "era Dorival" no Peixe, o técnico tem travado um duro duelo contra o Alviverde. Foram quatro vitórias, três derrotas e dois empates no clássico.

A vitória na última quinta sobre o The Strongest, na Vila, pela segunda rodada do Grupo 2 da Libertadores, fez o comandante vibrar. Dorival considerou aquela uma das melhores atuações da equipe alvinegra no ano. Para o clássico contra o Palmeiras, às 18h30, na Vila Belmiro, o comandante pretende manter o ritmo ofensivo e demonstrou felicidade com a equipe bem estruturada.

- O Santos sempre jogou dessa forma agressiva, combativa e insinuante. Quem sabe jogar dessa maneira, não perde essa condição. Esperamos manter esse nível de atuação. Serão muitos titulares com merecimento dentro da nossa visão - explicou.

O Peixe entrou em campo na quinta-feira passada contra o Strongest com as características que Dorival tanto almejava. A equipe da Vila Belmiro tomou conta da partida com pressão no ataque e passe rápido. Além de surpreender o adversário com a inversão de lado rápida dos atacantes.

Mesmo com o desgaste da partida da segunda rodada da Libertadores, o comandante não poupou os titulares e estará com força máxima no jogo contra o Alviverde. Um empate devolverá o Santos à zona de classificação do Paulistão. Uma vitória a deixará na liderança do seu grupo. A equipe foi favorecida pelas derrotas de Mirassol e Ponte Preta no sábado.







E MAIS: