Contra o Madureira, escola Vasco de goleiros homenageia Barbosa: 'Abriu as portas para todos nós'

Felippe Rocha
·3 minuto de leitura


É dia de Barbosa. Aniversário de um dos grandes personagens do imaginário popular brasileiro. Um dos maiores ídolos da história do Vasco. O time, neste início de temporada 2021, em meio à reconstrução do elenco e do clube, encara o Madureira. Debaixo das traves, outro goleiro negro. Lucão representa com orgulho a posição que o histórico goleiro cruz-maltino dignificou. Neste sábado, a vitória é o objetivo em forma de homenagem.

- Quando cheguei ao Vasco, me falaram muito da história do Barbosa. Sempre citava ele nos trabalhos da escola que falavam de ídolos. Ele abriu as portas para todos nós que somos pretos. Se estou aqui hoje, é por conta da luta dele. Nos tempos de hoje, temos goleiros pretos que são importantes, mas antes do Barbosa não era assim. Realmente dá pra ver o legado que ele nos deixou - exaltou Lucão, ao LANCE!. E acrescentou:

- Estou muito feliz por ocupar, hoje, um lugar que já foi do Barbosa. Ano passado, quando eu estava jogando, a filha dele entrou em contato comigo dizendo que eu fazia lembrar o pai dela e isso me emocionou bastante. Conversamos até hoje. Ela me conta várias histórias do Barbosa. Não tem como não ser fã ou agradecê-lo por tudo que fez por nós - reverencia.

-> Confira a tabela do Campeonato Carioca

Apesar das palavras conscientes, Lucão tem apenas 20 anos. É que a consciência sobre quem foi relevante ao extremo é obrigatória para quem cresceu em São Januário. Ainda engatinhando como titular, ele está no clube desde os 13 anos. Frequentou seleções de base em diferentes categorias, assim como o reserva Cadu, de 17 anos.

Ambos aprendem a "cartilha" de Barbosa. O Documento Orientador Metodológico que o clube entrega para cada um leva nome e rosto do ídolo. A capa já diz: "Excelência na formação de goleiros". Também pudera. Estão bem de professor.

Cadu - Vasco
Cadu - Vasco

Cadu tem 17 anos e é reserva de Lucão (Rafael Ribeiro/Vasco.com.br)

- O Barbosa é uma inspiração. Sempre que posso eu leio, estudo sobre ele, sobre os feitos que ele obteve tanto pela Seleção quanto pelo Vasco. Mas apesar de ser um dos grandes goleiros da história, ele representa bem o que é a posição, o quão ingrata pode ser. Por conta de um erro, ele foi crucificado pela mídia, pela sociedade e carregou esse peso pela vida toda dele injustamente - lamentou, também ao L!. E continuou:

- As pessoas acabam olhando só pelo lado negativo e não enxergam a quantidade de coisas que ele já fez pela Seleção e pelo Vasco. Por conta disso, por dar a volta por cima, sempre se manter perseverante e humilde, ele é um exemplo e uma inspiração para todos. Não só goleiros, mas todos os jogadores devem se inspirar nele. Na base, a gente sempre estuda sobre ele. A gente tenta pegar o que ele já fez de muito bom pelo clube e colocar em prática para reerguer a instituição do Vasco da Gama e ajudar no que a gente puder - concluiu.