Contrário à 'Eleja Online', Alexandre Campello avisa que não participará da nova eleição do Vasco

LANCE!
·2 minuto de leitura


Pouco depois de o presidente da Assembleia Geral do Vasco, Faués Mussa, convocar a eleição híbrida para este sábado, o atual mandatário da diretoria administrativa, Alexandre Campello, afirmou que não participará do pleito neste formato. Para ele, a presença da empresa "Eleja Online" deslegitima a validade do pleito.

- O clube vai permanecer cumprindo as decisões judiciais. Hoje teve uma convocação do Mussa para uma eleição exclusivamente online, no sábado. Nós vamos cumprir, desde que seja cumprindo as normas do estatuto. O clube não aceita a Eleja Online. Entendemos que há um conflito de interesses, não foi o clube que pagou. Isso por si só já tira a isenção. Não é possível realizar um processo eleitoral em que uma das chapas paga a empresa que organiza o pleito. O clube está pronto para cumprir a lei, desde que dentro da legalidade - explicou Campello durante entrevista coletiva no fim da manhã desta terça, em São Januário.

A escolha da "Eleja Online", criticada por Campello, se dá por acusações de proximidade entre membros da empresa e da chapa "Sempre Vasco", encabeçada por Júlio Brant. Também pela presença de parentes de Faués Mussa na chapa citada.

Sérgio Frias, da chapa "Aqui é Vasco", quinto colocado na disputa do último sábado, já havia dito que a "eleição acabou". Luiz Roberto Leven Siano, mais votado no pleito do último fim de semana, afirmou que não participa de nova eleição, se houver. Agora, Alexandre Campello foi quem afirmou não se colocar para a disputa - ele ficou em quarto lugar no dia 7.

- Quero deixar claro que eu não participarei mais de nenhuma eleição nesse processo eleitoral, até para dar isenção ao processo. Retirei mesmo a candidatura. Se houver um novo pleito, vou trabalhar para que aconteça da melhor forma possível - garantiu, na Sala do Conselho de Beneméritos do clube de São Januário.

A eleição do Vasco, originalmente, estava marcada para o último sábado (7/11). A falta de acordo entre as forças políticas para o modo virtual ou híbrido resultou em ação na Justiça por parte de Mussa para que houvesse adiamento para o sábado seguinte (14/11). A liminar foi obtida, mas o entendimento foi revisto pelo STJ na noite da última sexta - a 13 horas do início dos trabalhos.

Mais votado na eleição do último sábado, Leven Siano afirmou que vai entrar na Justiça contra a decisão que suspendeu o pleito. Contudo, pelas declarações recentes, somente deverão participar da votação deste sábado os candidatos Jorge Salgado (Mais Vasco) e Júlio Brant (Sempre Vasco).