Conselho do Corinthians aprova revisão do orçamento de 2021; previsão é de superávit

·2 min de leitura


O Conselho Deliberativo do Corinthians se reuniu na noite da última terça-feira para discutir a aprovação da revisão do orçamento para o ano de 2021. O documento, aprovado pelo órgão, prevê superávit no fim da temporada, mas inclui uma projeção de R$ 95,3 milhões em vendas de jogadores no total.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Veja até quando vai o contrato de cada jogador do Corinthians

Em sua versão anterior, o orçamento previa um lucro contábil de R$ 1,1 milhão em 31 de dezembro de 2021. No entanto, esse foi um dos itens revisados pela diretoria, que diminuiu a projeção de superávit para R$ 713 mil. Fechar a temporada com resultado financeiro positivo é uma das metas dessa gestão.

Uma das alterações orçamentárias que se fizeram necessárias para manter a projeção de superávit foi valor arrecadado em vendas de jogadores. No início do ano, o clube projetou R$ 70 milhões em negociações, mas essa quantia foi modificada para R$ 95,3 milhões. Até o momento, o Timão arrecadou R$ 13,8 milhões nesse quesito, ou seja, precisa de mais R$ 80 milhões até o fim do ano.

Os dirigentes confiam que isso será possível, apostando no real desvalorizado, o que alavancaria as cifras de qualquer venda em euro ou em dólar. No entanto, segundo apurou o LANCE!, alguns conselheiros não estão confiantes com essa projeção e acreditam ser muito difícil atingir a meta em dois meses.

De concreto mesmo, o clube conta com o aumento das receitas referentes à marca Corinthians, aos patrocínios e aos direitos de TV. Somente nesses itens, cerca de R$ 45 milhões foram acrescentados em relação à versão anterior do orçamento. Apesar disso, houve a necessidade de refazer a projeção para a arrecadação com bilheteria, que diminuiu em cerca de R$ 14 milhões, que ao mesmo tempo alivia a previsão com gastos na operação dos jogos na Arena.

Um número que chama a atenção, porém, é o de gastos com pessoal, que inclui salários, direitos de imagem, encargos sociais e direitos federativos. Na versão anterior do orçamento, esse valor era de R$ 268 milhões e na nova versão ele aumentou consideravelmente para R$ 314 milhões, ou seja, acréscimo de R$ 46 milhões, quantia maior do que aquilo que foi adicionado com as receitas de TV, de exploração da marca e de patrocinadores.

Vale destacar que a dívida total do clube continua próxima de R$ 1 bilhão. No último balancete divulgado, que contabiliza as informações até o fim de agosto, o valor da dívida acumulada estava em R$ 977,2 milhões. Essa quantia não engloba os valores devidos pelo Corinthians em relação ao seu estádio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos