Conselheiros do Flamengo remarcam votação para cassar título de Kleber Leite

Kleber Leite foi presidente do Flamengo entre os anos de 1995 e 1998 (Reprodução)


O Conselho Deliberativo do Flamengo remarcou, nesta segunda-feira, a votação para cassar o título de Grande Benemérito do ex-presidente Kleber Leite. O pleito acontecerá no dia 26 de janeiro, na Gávea, e pode retirar o status concedido ao dirigente em 2020. Segundo apurou o LANCE!, a oposição tentará adiar a reunião, alegando pouca rotatividade por conta das férias.

+ Veja as principais movimentações do Flamengo no mercado da bola

O processo se arrasta desde 2021, e a primeira reunião foi marcada em julho. Outro pleito também tentou ser marcado no ano passado, mas foi adiado pela oposição, na justificativa de erros na acusação. Agora, o tema volta ao Conselho Deliberativo do Flamengo para que, finalmente, possa ser decidido.

Kleber Leite presidiu o Flamengo entre os anos de 1995 e 1998. Além disso, foi vice-presidente de futebol entre 2005 e 2009, além de ter participado da idealização da Chapa Azul, presidida por Eduardo Bandeira de Mello. Em entrevista ao L!, em 2020, o ex-mandatário explicou o porquê das acusações e da vontade de retirá-lo do título de Grande Benemérito.

+ Globo garante transmissão do Mundial de Clubes e gera concorrência para Casimiro

VEJA O TRECHO DA ENTREVISTA

"Eu fui agraciado com o título de Grande Benemérito. Ponto. Havia duas vagas, e várias pessoas se candidataram e enviaram os seus currículos, como eu. Houve primeiro uma comissão que avalia as condições de cada um dos pretendentes. A minha foi analisada e aprovada, como todos. Então, deu-se a eleição, e dois foram eleitos, com o mesmo número de votos, aliás: eu e Marcos Braz. O processo foi absolutamente democrático. A reunião foi presencial, tudo de acordo com o estatuto.

Artur Rocha e o primo dele (Túlio) entraram com um recurso no Conselho Deliberativo, alegando duas coisas: 1) que eu não deveria ser eleito pelo fato de estar suspenso, o que não corresponde à realidade. Naquele problema com o shopping (entenda aqui), eu fui julgado pelo Conselho de Administração e absolvido. Lá é que se julga um Benemérito do clube. Eles recorreram ao Conselho Deliberativo, num recurso absolutamente inadequado e impróprio. O Judiciário me deu ganho de causa, primeiro através de uma liminar e, depois, através de uma decisão definitiva. Ou seja, o Judiciário anulou aquela suspensão de oito meses, que eles injustamente me impuseram. Este item, portanto, está totalmente fora de questão; 2) de acordo com o Estatuto, para você se tornar um Grande Benemérito, você tem que ter após ganhar o título de Benemérito, dez anos de relevantes serviços prestados ao clube de maneira ininterrupta.

Pois bem, eu ganho o título de Benemérito, depois fui, do final de 2005 até 2009, vice-presidente de futebol, o que é um relevante serviço - embora não seja necessário ser dirigente para prestar tais tarefas expressivas ao clube. E, através de vários documentos e personalidades do clube, inclusive do ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello, que fez uma carta, um documento, que citava que em nenhum momento eu deixei de servir o clube, por solicitação da própria presidência e de outros setores do Flamengo, o que torna nula, completamente, a argumentação dessas duas pessoas."