Conselheiros do Flamengo propõem licenciamento de dirigentes que se candidatarem a cargos públicos; veja nota

Antonio Mota
·2 minuto de leitura

Membros do “Flamengo da Gente” e outros conselheiros do clube rubro-negro informaram, na manhã desta quinta-feira (26), que protocolaram uma proposta de emenda ao Estatuto Social do Flamengo no começo da semana. Em comunicado, o grupo explicou que o objetivo da iniciativa é fazer com que se torne obrigatório no clube o "licenciamento, durante a campanha eleitoral, de qualquer membro de poder que se candidate a um cargo eletivo externo".

“Conselheiros e conselheiras do Flamengo da Gente, em conjunto com conselheiros e conselheiras de outros grupos políticos e independentes, protocolaram nesta terça-feira no Conselho Deliberativo um projeto de Emenda ao Estatuto Social do Clube de Regatas do Flamengo, para tornar obrigatório o licenciamento, durante a campanha eleitoral, de qualquer membro de poder que se candidate a um cargo eletivo externo”, destaca trecho de nota do grupo.

Como destaca a nota, a emenda foi “subscrita por mais de 50 conselheiros” e, por isso, há a obrigatoriedade de votação em plenário.

Vale destacar que o assunto segue quente nos bastidores do Flamengo desde que Marcos Braz, vice-presidente de futebol do clube, foi eleito vereador do Rio de Janeiro. O dirigente já afirmou que não vai deixar o seu cargo no Mais Querido.

Veja abaixo a nota publicada pelo grupo "Flamengo da Gente"

"Conselheiros e conselheiras do Flamengo da Gente, em conjunto com conselheiros e conselheiras de outros grupos políticos e independentes, protocolaram nesta terça-feira no Conselho Deliberativo um projeto de Emenda ao Estatuto Social do Clube de Regatas do Flamengo, para tornar obrigatório o licenciamento, durante a campanha eleitoral, de qualquer membro de poder que se candidate a um cargo eletivo externo.

A proposta é subscrita por mais de 50 conselheiros, o que, nos termos do Estatuto, torna obrigatória sua votação em plenário.

Esclarecemos, ainda, que optamos por esperar passar a eleição municipal para protocolar o projeto. Acreditamos que assim o tema possa ser debatido sem o calor da disputa e que mais conselheiros se sensibilizem da necessidade de não misturar o Clube de Regatas do Flamengo com projetos políticos pessoais."

Com informações do Lance!.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.