A conquista precisava ser nossa, diz Guga nos 20 anos do bi de Roland Garros

Folhapress
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 03.05.201 - O ex-tenista Gustavo Kuerten (Guga). (Foto: Marcelo Justo/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 03.05.201 - O ex-tenista Gustavo Kuerten (Guga). (Foto: Marcelo Justo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-tenista Gustavo Kuerten, 43, comemora nesta quinta-feira (11) os 20 anos do seu bicampeonato de Roland Garros.

O segundo troféu de Guga no saibro de Paris foi conquistado com vitória sobre o sueco Magnus Norman por 3 sets a 1 (6/2, 6/3, 2/6, 7/6). O que o placar por si só não mostra é que o brasileiro precisou de 11 match points para superar o rival em 11 de junho de 2000.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Parecia tão perto, tão perto, que dava pra sentir o gosto do troféu. De repente, aqueles segundos se transformaram num mundo de distância, e também emoções distintas e oscilantes, e justo esses sentimentos traziam a certeza que, independente do tempo necessário pra continuar correndo, lutando e vibrando, nós íamos conseguir, a conquista precisava ser nossa", escreveu o tenista em suas redes sociais nesta quinta.

Aquela campanha também teve vitórias duríssimas, em cinco sets, sobre o russo Yevgeny Kafelnikov (nas quartas de final) e o espanhol Juan Carlos Ferrero (na semi).

Além de conquistar os títulos de 1997 e 2000, Guga ainda venceria o Grand Slam francês pela terceira vez, em 2001.

"Em 1997 foi fantasia. Podia ser só o acaso e aquele acaso único da minha carreira. Em 1999, eu fiz quartas de final em Roland Garros, Wimbledon e no US Open. Era: 'Tá chegando'. Ao mesmo tempo, entre o 'tá chegando' e o 'acontece', às vezes tem uma distância enorme", disse Guga em entrevista publicada pelo UOL Esporte que faz parte de um especial que relembra a trajetória da conquista.

Leia também