Conor McGregor x Jorge Masvidal e mais quatro lutas a casar pós-UFC 246

Yahoo Esportes
Conor McGregor demoliu Donald Cerrone em 40 segundos (Steve Marcus/Getty Images)
Conor McGregor demoliu Donald Cerrone em 40 segundos (Steve Marcus/Getty Images)

Conor McGregor retornou o caminho das vitórias em grande estilo no UFC 246, nocauteando Donald Cerrone me apenas 40 segundos na noite de sábado em Las Vegas.

Cerrone, adversário sob medida para o astro irlandês brilhar em seu retorno às jaulas, sucumbiu após quatro incomuns ombreadas no rosto, uma joelhada voadora e uma sequência de socos. A apoteose de McGregor foi lucrativa para o UFC, que pode voltar a fazer planos ambiciosos para “O Notório”.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O lado meritocrático apontaria para um combate entre McGregor e Justin Gaethje, ex-campeão do WSOF que acumula três rápidos nocautes no UFC, sendo o último sobre Cerrone. Meritocracia, porém, raramente entra em questão quando McGregor é um dos fatores envolvidos na matemática.

McGregor e Cerrone são pesos-leves (70kg) que decidiram se enfrentar até 77kg para não cortar peso de forma “desnecessária”. O irlandês, aliás, mencionou a possibilidade de permanecer na categoria para sua próxima luta. O irlandês é um mestre em criar um leque de possibilidades para seu futuro antes de escolher a opção mais lucrativa, e Masvidal surge como a melhor.

Khabib Nurmagomedov é o campeão dos leves e uma revanche renderia milhões, mas seu estilo de jogo é um pesadelo para um striker como McGregor. Kamaru Usman, dono do cinturão até 77kg, também complicaria a vida do irlandês com suas quedas, e renderia menos dinheiro. Masvidal está em alta após bater Nate Diaz e “dá jogo” na luta em pé.

Caso Nurmagomedov vença Tony Ferguson em abril, o UFC deve de fato promover uma revanche entre o representante da Irlanda com Nurmagomedov, mas não é o caminho que este blog seguiria.

Abaixo vão outras lutas que o blog casaria para os principais atletas do UFC 246:

Donald Cerrone x Anthony Pettis 2: Ambos perderam no último sábado, uma vez que Pettis caiu diante do brasileiro Diego Ferreira, e poderiam fazer uma revanche interessante. O ideal, aliás, é que ambos tirassem um longo período de férias para descansar o corpo após duras derrotas em sequência.

Holly Holm x Germaine de Randamie 2: Holm foi protocolar em sua performance contra Raquel Pennington, vencendo na decisão dos juízes após 15 minutos, mas ainda não merece ter nova oportunidade pelo cinturão dos galos (61kg). Em uma categoria esvaziada, “culpa” do sucesso de Amanda Nunes, uma opção interessante seria revanche com de Randamie, que também perdeu para a baiana.

O primeiro confronto entre Holm e de Randamie, que aconteceu na divisão até 66kg, fora do peso ideal de ambas, foi polêmico. De Randamie deixou Nova York com o cinturão inaugural dos penas, mas foi criticada por golpes desferir após o soar do gongo e faturar uma decisão dos juízes bastante questionável. Para piorar, a holandesa foi removida do torno por se recusar a enfrentar Cris Cyborg.

Diego Ferreira x Gregor Gillespie: O amazonense brilhou no maior palco de sua vida, forçando Pettis a “batucar” com um justo mata-leão no segundo assalto. Em sua entrevista pós-luta, Ferreira disse que preferiria enfrentar contra alguém menos ranqueado para se manter ativo, uma vez que a categoria dos leves está congestionada. Gregor Gillespie, número 12 da lista e dono de um afiado jogo de chão, daria caldo.

Alexey Oleinik x Fabrício Werdum: O gaúcho “Vai Cavalo” facilitou o trabalho dos matchmakers do UFC ao sugerir um duelo com Oleinik, que finalizou Maurice Greene entre as lutas principais. O russo, que já bateu nomes populares como Mark Hunt e Travis Browne ao longo de 72 lutas profissionais, poderia recepcionar Werdum de volta ao octógono após suspensão por doping, que se encerra em abril.

Leia também