Conor McGregor anuncia aposentadoria pela terceira vez

AFP
O astro de artes marciais mistas Conor McGregor fala à imprensa em 26 de julho de 2018 ao deixar um tribunal do Brooklyn em Nova York
O astro de artes marciais mistas Conor McGregor fala à imprensa em 26 de julho de 2018 ao deixar um tribunal do Brooklyn em Nova York

O astro de artes marciais mistas (MMA) Conor McGregor, 31, anunciou sua aposentadoria neste domingo em sua conta no Twitter, depois de ter encerrado sua carreira esportiva em 2016 e 2019.

"Oi pessoal, eu decidi me aposentar da luta. Obrigado a todos pelas memórias incríveis! Que aventura!", escreveu McGregor com uma foto em que aparece ao lado sua mãe. É, portanto, a terceira vez que o lutador irlandês do UFC (Ultimate Fighting Championship), principal organizador das lutas de MMA, anuncia o fim de sua carreira esportiva.

McGregor, um dos lutadores mais populares da história do MMA, tem um recorde de 22-4 e foi o primeiro lutador do UFC a conquistar dois cinturões de pesos diferentes ao mesmo tempo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

McGregor decidiu se aposentar do MMA pela primeira vez em abril de 2016, antes de voltar atrás em sua decisão depois de negociar um novo contrato claramente revalorizado.

"O esporte me aborrece um pouco. Não estou motivado (para lutar). Não sei se é devido à ausência do público. Não sei por que. Mas não encontro estímulos", disse McGregor à rede ESPN neste domingo.

"Toda essa espera e nada acontece ... Estou procurando adversários, mas no momento não há muito. Nada me estimula", acrescentou o lutador.

O irlandês, apelidado de "The Notorious" ("o notório"), se aposentou pela segunda vez em março de 2019, depois de ter sofrido uma derrota em outubro de 2018 para o russo Khabib Nurmagomedov, pelo título leve do UFC, em um duelo que terminou com uma briga generalizada.

Após sua vitória, o russo brigou com membros da equipe do irlandês, que também foi agredido por um integrante do grupo de Nurmagomedov.

- Na mira da justiça -

Os dois astros do MMA receberam uma suspensão devido a esse incidente.

Em outubro de 2019, McGregor anunciou que queria voltar ao MMA e retornou ao octógono em janeiro em Las Vegas, derrotando o americano Donald Cerrone em 40 segundos.

McGregor tinha em seu poder o título de peso pena do UFC de 2015 a 2016 e o peso leve de 2016 a 2018. Mas foi participando de uma polêmica luta de boxe contra a lenda americana Floyd Mayweather, em agosto de 2017 em Las Vegas, que ele ganhou fama mundial e riqueza.

O irlandês também enfrentou problemas com a justiça em algumas ocasiões. Ele se envolveu em dois episódios de agressão nos Estados Unidos e também é alvo de duas investigações por crimes sexuais na Irlanda, segundo o jornal The New York Times.

No final de março, McGregor anunciou que estava doando um milhão de euros (US$ 1,12) para comprar material de proteção para os profissionais da Saúde em seu país, no âmbito da luta contra a pandemia de coronavírus.

O chefe do UFC, o americano Dana White, reagiu neste domingo ao comunicado de McGregor. Segundo ele, se o irlandês acha que deve se aposentar, ele tem "absolutamente" que fazer isso.

"Eu amo Conor. Há um punhado de pessoas que tornaram isso (o MMA) muito divertido para mim e ele é uma delas", explicou ele em entrevista coletiva após uma competição do UFC em Las Vegas.

Leia também