Conmebol repassa 79 milhões de dólares a seus associados para enfrentar COVID-19

AFP
O estádio do Racing Club, o Cilindro de Avellaneda, sem torcedores devido ao decreto do governo argentino de proibir grandes eventos para impedir a propagação do novo Coronavírus, antes da partida da Copa Libertadores contra o Aliança de Lima do Peru, no dia 12 de março de 2020.
O estádio do Racing Club, o Cilindro de Avellaneda, sem torcedores devido ao decreto do governo argentino de proibir grandes eventos para impedir a propagação do novo Coronavírus, antes da partida da Copa Libertadores contra o Aliança de Lima do Peru, no dia 12 de março de 2020.

A Conmebol distribuiu 65 milhões de dólares para os clubes que disputam a Copa Libertadores e a Sul-Americana em 2020 e outros 14 milhões para suas federações associadas devido à crise econômica causada pela paralisação do futebol por causa da pandemia de COVID-19.

"Na Conmebol, ficamos em casa, mas continuamos trabalhando para o futebol sul-americano", disse o presidente da entidade, Alejandro Domínguez, nesta quarta-feira, citando as medidas que foram tomadas para aliviar a crise causada pela crise do coronavírus.

A Copa Libertadores estava em plena disputa da fase de grupos, quando precisou ser suspensa em meados de março, enquanto a Copa Sul-Americana já havia completado sua primeira rodada e a segunda rodada estava marcada para meados de maio.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em conjunto com a Fifa, a Conmebol também disponibilizou para suas 10 associações a soma de 14 milhões para pagamento de salários.

"A saúde e a vida humana são uma prioridade neste momento de pandemia. O futebol deve esperar. Para que quando volte, possamos estar saudáveis e todos juntos", disse Domínguez.

Por meio de sua comissão médica e dos profissionais de suas associações, a Conmebol desenvolveu um protocolo médico para a prevenção da COVID-19, respeitando as medidas sanitárias, com vistas à retomada do futebol na América do Sul.

Leia também