Conmebol realoca torcida pra disfarçar final de pior público da Copa Sul-Americana

·2 min de leitura

FORTALEZA, CE (UOL/FOLHAPRESS) - Para evitar que o estádio Centenario, em Montevidéu (Uruguai), parecesse completamente vazio na transmissão televisiva da final da Sul-Americana, neste sábado (20), a Conmebol realocou o público para a parte central da arquibancada. A maioria dos torcedores de Athletico-PR e Bragantino comprou ingressos para os setores atrás das traves, mas foi remanejada para a arquibancada central, que ficaria vazia.

A final, que coroou o Athletico campeão com vitória por 1 a 0, teve 6.173 espectadores e foi a de menor público da história da competição, que existe desde 2002. O levantamento desconsidera os anos de 2016, quando não houve jogo final, e de 2020, quando a final foi jogada sem público. Esta foi a terceira edição com final de partida única, a exemplo do que acontece nos grandes torneios interclubes da Europa.

O histórico estádio Centenario tem capacidade para 65 mil torcedores. Teve neste sábado, portanto, menos de 10% de ocupação.

Para uma final entre dois times brasileiros em território uruguaio, a Conmebol cobrou 100 dólares, o equivalente a R$ 560, para o setor atrás dos gols, os mais baratos da partida. Entre as duas torcidas houve protestos contra o valor cobrado, que parece não ter levado em consideração a distância até o local da partida, a crise inflacionária no Brasil e a alta do dólar em relação ao real.

A torcida do Athletico foi mais numerosa e ficou distante alguns metros dos torcedores do Bragantino. Houve baixíssima procura de ingressos por uruguaios. O setor reservado a convidados também estava pouco ocupado.

Os torcedores que ficaram no Brasil também tiveram dificuldade de assistir à partida, já que a transmissão foi feita apenas pela Conmebol TV, um serviço por assinatura pouco popular no país.

Com o gol de Nikão, o Athletico conquistou o bicampeonato do torneio.

*

PÚBLICOS DOS JOGOS FINAIS DA SUL-AMERICANA

2002

San Lorenzo 0 x 0 Atletico Nacional: 40.779

2003

Cienciano 1 x 0 River Plate: 45.000

2004

Boca Juniors 2 x 0 Bolivar: 55.000

2005

Boca Juniors 1 x 1 Pumas 56.000

2006

Colo Colo 1 x 2 Pachuca: 65.000

2007

Arsenal 1 x 2 América: 25.000

2008

Internacional 1 x 1 Estudiantes: 51.803

2009

Fluminense 3 x 0 LDU: 65.998

2010

Independiente 3 x 1 Goiás: 38.000

2011

Universidad de Chile 3 x 0 LDU: 47.000

2012

São Paulo 2 x 0 Tigre: 72.809

2013

Lanús 2 x 0 Ponte Preta: 40.000

2014

River Plate 2 x 0 Atlético Nacional: 75.000

2015

Santa Fé 0 x 0 Huracán: 38.000

2016

Não houve jogo final por causa do acidente com a Chapecoense

2017

Flamengo 1 x 1 Independiente: 74.567

2018

Atletico-PR x Junior Barranquilla: 40.263

2019

Del Valle 3 x 1 Colón: 44.828

2020

Defencia y Justicia 3 x 0 Lanús: jogo sem público por causa da pandemia

2021

Athletico-PR 1 x 0 Bragantino: 6.173

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos