Conmebol divulga nota de apoio a Cavani, suspenso pela federação inglesa

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) emitiu nesta terça (5) um comunicado de apoio ao atacante uruguaio Edinson Cavani, do Manchester United. O jogador foi suspenso por três partidas por ter chamado um amigo de "negrito" nas redes sociais. O termo foi considerado racista pela Federação Inglesa. Para a Conmebol, a punição imposta a Cavani não leva em consideração características culturais e de terminologias utilizadas de maneira rotineira no Uruguai. A entidade europeia argumenta que o comentário de Cavani foi preconceituoso. O apoio da Conmebol se soma a outras manifestações favoráveis ao atacante feitas por jogadores sul-americanos e instituições uruguaias. A academia de letras do país considerou a suspensão "ignorante". "Referências a qualidades físicas, morais ou pessoais de outras pessoas são usadas em todas as línguas do mundo para a criação de expressões para tratar os outros. Em alguns contextos, têm um teor negativo, e muitas vezes os mesmos termos podem ser considerados afetuosos ou amigáveis", explicou a entidade. Cavani não atuou na vitória do Manchester United por 2 a 1 sobre o Aston Villa no último dia 1º, pelo Campeonato Inglês, e vai ficar fora dos confrontos diante do Manchester City (pela Copa da Liga) nesta quarta (6) e contra o Watford (pela Copa da Inglaterra) no sábado (9). Leia abaixo o comunicado da Conmebol: "A Conmebol expressa sua solidariedade ao jogador Edinson Cavani, sancionado pela Federação Inglesa de Futebol. A medida disciplinar para o jogador destacado da seleção uruguaia claramente não leva em consideração as características culturais e o uso de certos termos na fala cotidiana do Uruguai. O julgamento desses tipos de declarações, no âmbito de um processo que pode acarretar em penalidades para o atleta e que afetam sua reputação e bom nome, deve ser sempre realizado levando em consideração o contexto em que foram feitas e, sobretudo, as peculiaridades culturais de cada jogador e de cada país. A Conmebol condena e sempre condenará com a maior energia qualquer manifestação racista ou discriminatória, mas o caso específico para o qual Cavani foi sancionado não constitui uma delas."