Conmebol define data para chegada das vacinas contra Covid-19; CBF deverá pedir autorização da Anvisa

Lucas Humberto
·2 minuto de leitura

A Conmebol informou que as 50 mil doses de vacina contra Covid-19 irão chegar ao território uruguaio no próximo dia 28 de abril. A entidade ressaltou, por meio de comunicado, que o lote doado pelo laboratório chinês Sinovac foi "fabricado especialmente para o futebol sul-americano e que, de nenhum modo, são vacinas destinadas a qualquer outro fim".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A nota também informou que "o processo de distribuição dos imunizantes começará nos diferentes países, em estrito cumprimento das normas legais e sanitárias em vigor em cada um deles". Vale lembrar que a legislação brasileira não autoriza uso de imunizantes contra o coronavírus por entidades privadas. Nesse caso, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) irá precisar de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para receber as doses.

Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, reforçou que irá começar a vacinação com equipes da Copa América. | Guillermo Legaria/Getty Images
Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, reforçou que irá começar a vacinação com equipes da Copa América. | Guillermo Legaria/Getty Images

Embora a Conmebol não tenha se posicionado sobre países que não permitem aquisição privada dos imunizantes, possíveis logísticas serão definidas nesta sexta-feira (23). A CBF, por sua vez, ainda não se manifestou publicamente sobre a doação, mas Rogério Caboclo, presidente da instituição, demonstrou interesse na vacinação, desde que o Congresso libere - a pauta está em discussão na Câmara dos Deputados.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A vacinação irá começar com as equipes da Copa América. A intenção é imunizar times masculinos e femininos da primeira divisão de cada um dos dez países envolvidos, além de árbitros e demais funcionários da organização dos eventos. A Conmebol destaca, no entanto, que ninguém será punido caso não queira ser vacinado.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.