Conmebol decide que Copa América será disputada no Brasil

·2 minuto de leitura
O ex-jogador Juninho Paulista apresenta o torféu da Copa América no Centro de Convenções de Cartagena, Colômbia, 3 de dezembro de 2019

A Copa América 2021, que estava programada para ser disputada na Colômbia e na Argentina, será disputada no Brasil entre 13 de junho e 10 de julho, anunciou nesta segunda-feira a Conmebol.

"A Conmebol Copa América 2021 será disputada no Brasil! As datas de início e término do torneio estão confirmadas", escreveu a Conmebol em sua conta no Twitter.

A expectativa é que nas próximas horas a entidade que comanda o futebol na América do Sul anuncie os locais e datas do mais antigo torneio de seleções do mundo. O Brasil sediou a última Copa América, em 2019.

No domingo, a Conmebol decidiu que a competição não seria mais disputada na Argentina, devido ao aumento no número de casos de Covid-19 para as quais o governo local exigia o cumprimento de um protocolo sanitário muito rígido.

Há 10 dias, também decidiu cancelar a realização do evento na Colômbia por conta dos distúrbios políticos que levaram a protestos violentos nas últimas semanas, nos quais morreram dezenas de pessoas, e pelo crescimento da pandemia no país. Esta seria a primeira edição deste campeonato a ser realizada em dois países simultaneamente.

O chefe de gabinete do governo argentino, Santiago Cafiero, explicou nesta segunda-feira que “com tantos casos não poderíamos realizar um evento com estas características”.

“A Argentina tinha um compromisso e tentamos sempre sustentá-lo, mas a realidade epidemiológica nos impediu”, disse Cafiero em entrevista coletiva.

A Argentina, que tem 45 milhões de habitantes, vive o pior momento da pandemia, com registro de 41.080 infecções na última quinta-feira, atingindo mais de 3,7 milhões de casos positivos e 77.000 mortes desde o surgimento do coronavírus. A taxa de mortalidade é de quase 500 por dia.

“Trabalhamos com as autoridades da Conmebol em diferentes possibilidades e cenários. Mas tudo sempre esteve sujeito a algo que ultrapassa a organização do torneio e que tem a ver com o aumento de casos, com a forma como a segunda onda de infecções continua a atingir” destacou Cafiero.

Uma pesquisa de opinião pública divulgada na sexta-feira passada revelou que 70% dos argentinos rejeitam a realização da Copa América no país em meio à onda de infecções.

bur-nn/ol/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos