Conmebol afirma que incidência de casos da Covid-19 diminuiu na Copa América

·1 minuto de leitura


Depois de muitos casos positivos da Covid-19 antes do início e no decorrer da Copa América, a Conmebol se pronunciou nesta sexta-feira e afirmou que a incidência de casos durante a competição caiu. De acordo com a entidade, a maior parte da queda foi entre funcionários terceirizados, responsáveis pelos maiores números de testes com o vírus.

+ Veja a tabela e os jogos da Copa América


Em nota, a organizadora do futebol sul-americano disse que o protocolo adotado na competição é eficaz e afirmou que a taxa de casos positivos caiu de 1,7% para 0,7%.

A Conmebol também apresentou números de sua comissão médica, com tabelas datadas em três oportunidades. Os dados mostram que houve queda proporcional em relação ao número de testes.

+ Olheiro LANCE!: 20 jogadores da Copa América que ainda atuam no continente e caberiam bem no seu time

VEJA A NOTA DA CONMEBOL
​"- As estatísticas da Comissão Médica da CONMEBOL e das autoridades sanitárias do Brasil revelam uma alta eficácia dos protocolos sanitários.

- A taxa de casos positivos caiu de 1,7%, no início da competição, para 0,7%, atualmente. A grande maioria dos casos é registrada entre o pessoal de apoio logístico terceirizado.

A Comissão Médica da CONMEBOL divulgou uma tabela comparativa dos testes do coronavírus realizados em três datas da Copa América 2021. Os números refletem uma clara tendência de queda no número de casos positivos, refletindo a alta eficiência dos protocolos sanitários aplicados na competição.

De fato, em 14 de junho, foram coletadas 3.045 amostras, dos quais 53 deram positivo, um número que representa 1,73% do total. Cinco dias depois, em 19 de junho, o número de testes realizados subiu para 15.235, com 140 casos positivos, ou seja, 0,9% do total. No dia 21 deste mês, a soma de todos os testes realizados desde o início do evento havia atingido 22.856, dos quais 166 foram positivos, reduzindo a incidência para 0,7%.

O relatório inclui outro elemento relevante. A grande maioria dos casos positivos corresponde ao pessoal de apoio logístico terceirizado no Brasil que ainda não havia sido vacinado, por razões além do controle da CONMEBOL. Por outro lado, os jogadores constituem uma minoria absoluta no grupo de positivos detectados nos testes. Além disso, muitos desses atletas já foram liberados para futuros encontros do torneio, após cumprirem a rigorosa quarentena imposta pelo Ministério da Saúde do Brasil.

As estatísticas divulgadas pela Comissão Médica da CONMEBOL são compiladas em colaboração com autoridades e funcionários do Ministério da Saúde do Brasil."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos