Conheça 'Dibu' Martínez, o 'rei da catimba' que não viu a filha nascer e se tornou herói da Argentina

A catimba talvez seja um dos mais tradicionais estereótipos do futebol argentino. E não chega a ser ofensa para eles. Afinal, ganhar jogos minando o lado mental de seu adversário também é uma forma de vencer. Emiliano Martínez parece entender isso muito bem. Tanto que, além de surgir para resolver a carência da seleção argentina por um goleiro confiável, se transformou no "rei da catimba" durante a campanha do título da Copa América de 2021. Agora, ele virou herói ao pegar dois pênaltis diante da Holanda, nas quartas de final do Mundial do Catar.

Infográfico: veja o passo a passo do gol 'ensaiado' da Holanda no empate com a Argentina

Bola de Cristal: Argentina é a favorita para vencer a Croácia e chegar à final da Copa

Dibu, como é apelidado, ganhou notoriedade e virou titular absoluto na Argentina por acaso — o então dono da posição Franco Aramni testou positivo para Covid-19 e precisou ser substituído. Seu auge na competição foi diante da Colômbia, na semifinal, onde quase arrumou uma confusão generalizada com os adversários. Os gritos de Martinez de: “Mirá que te como!” (Olha, vou te comer vivo!) e “Estás nervioso, hein?” (Você está nervoso, hein?), serviram para distrair os cobradores. Ele defendeu três penalidades.

Análise: na interminável batalha do Lusail, Messi dribla o tempo, Martínez se agiganta e Argentina vai à semifinal

O mesmo se repetiu na decisão contra o Brasil, onde conseguiu tirar Neymar e outros jogadores do sério. A cada defesa, soltava risos irônicos ou fazia gestos fálicos — algo que depois ele admitiu se arrepender — para os adversários. As imitações já entraram no vocabulário do futebol argentino.

— Ele está cada vez melhor e mais louco. Que figura! Faltam uns parafusos na cabeça dele — resumiu o colega Ángel Di Maria, em entrevista ao TyC Sports.

Após a conquista emocionada, Martínez fez uma revelação que chocou a todos: não acompanhou o nascimento da filha, que nascera quatro dias antes da Copa América, para estar com a seleção. Como a competição foi disputada em meio à pandemia da Covid-19, ele não poderia deixar a concentração. Caso contrário, seria cortado. Conheceu a filha recém-nascida apenas por meio do celular.

O jogador de 30 anos constrói uma carreira promissora. Em setembro de 2020, foi contratado pelo inglês Aston Villa; o clube desembolsou 22 milhões de euros por ele – quantia mais cara já paga por um goleiro argentino. Martínez é um dos talentos que saíram cedo do futebol argentino: aos 16 anos e chorando por ter que deixar sua família, ele trocou as categorias de base do Independiente pela do Arsenal. Hoje, as lágrimas serão de quem virou herói da Argentina em uma Copa do Mundo.