Congo e Guiné Equatorial eliminam favoritos e avançam às quartas da CAN

AFP
Jogadores do Congo comemoram a classificação para as quartas de final da Copa Africana de Nações, em 25 de janeiro em Ebebiyin, na Guiné Equatorial
Jogadores do Congo comemoram a classificação para as quartas de final da Copa Africana de Nações, em 25 de janeiro em Ebebiyin, na Guiné Equatorial

O surpreendente Congo e a anfitriã Guiné Equatorial tornaram-se neste domingo os primeiros classificados para as quartas de final da Copa Africana de Nações (CAN) ao eliminar o atual vice-campeão Burkina Faso e o Gabão do astro Aubameyang na última rodada do grupo A.

A seleção congolesa, comandada pelo francês Claude Le Roy, recordista de participações da competição (8), venceu o Burkina por 2 a 1, passando da fase de grupos pela primeira vez desde 1992.

"É incrível, uma emoção muito grande e uma felicidade imensa. Sabíamos que era preciso ganhar para terminar em primeiro lugar. Saímos do nada, mas passamos pela Nigéria (atual campeã) nas eliminatórias e agora tiramos do vice-campeão do torneio", comemorou o treinador.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em Ebebiyin, o desfecho foi eletrizante, com reviravolta e polêmica nos minutos finais.

Bifouma abriu o placar para o Congo aos 6 minutos do segundo tempo, Bancé deixou tudo igual aos 41, mas Nguessi deu a classificação aos 'Diabos Vermelhos' logo no minuto seguinte, com um gol que deveria ter sido anulado por impedimento, para o desespero dos burkinenses.

O Congo terminou na liderança com sete pontos, dois de vantagem sobre a Guiné Equatorial, que superou o Gabão por 2 a 0.

Aubameyang apagado

Em Bata, a seleção anfitriã saiu na frente aos 10 minutos da etapa final com um gol de pênalti duvidoso de Balboa, que não tem nada ver com Rocky, mas nocauteou os gaboneses.

"Este pênalti matou a gente. Não é a primeira vez que este juiz (o marfinense Désiré Doué Noumandiez) apronta, é muito chato, porque nesta altura da competição, não cabem erros de arbitragem deste tipo", reclamou Aubameyang.

O atacante do Borussia Dortmund, não fez jus à fama de astro da Bundesliga e saiu da competição com apenas um gol marcado, na vitória por 2 a 0 sobre o Burkina na estreia.

O Gabão pressionou até o fim para tentar o empate, mas Iban selou o resultado aos 43, para a alegria da torcida local.

A Guiné Equatorial repetiu a façanha na edição de 2012, que também sediou, junto com o Gabão. Como há três anos, a equipe trocou de técnico às pressas, menos de três semanas antes do início da competição.

Campeão continental com a seleção feminina, o argentino Estaban Becker substituiu o espanhol Andoni Goikoetxea, demitido no dia 31 de dezembro por não ter acompanhado os jogadores durante uma sessão de treinos em Portugal.

"É um verdadeiro conto de fadas. A equipe pobre vence a rica com merecimento, comprometimento, orgulho e paixão. Comecei a trabalhar com este grupo há exatos vinte dias, mas sabia que tínhamos condições de ir longe", comemorou Becker.

A Guiné Equatorial sequer conseguiu a classificação para o torneio em campo, mas acabou sendo repescada por aceitar organizar de última hora no lugar do Marrocos, desistiu de ser país-sede em razão de temores com o vírus Ebola.


--Resultados completos do grupo a da Copa Africana de Nações:


Domingo:

Congo - Burkina Faso 2 - 1

Gabão - Guiné Equatorial 0 - 2


Já disputados:

Burkina Faso - Gabão 0 - 2

Guiné Equatorial - Congo 1 - 1

Gabão - Congo 0 - 1

Guiné Equatorial - Burkina Faso 0 - 0


Classificação: Pts J V E D Gp Gc SG

1. Congo 7 3 2 1 0 4 2 2 CLASSIFICADO

2. Guiné Equatorial 5 3 1 2 0 3 1 2

CLASSIFICADO

3. Gabão 3 3 1 0 2 2 3 -1

4. Burkina Faso 1 3 0 1 2 1 4 -3


Leia também