Confirmado suicídio do uruguaio Morro García, ex-Athletico-PR e ídolo do Godoy Cruz

·3 minuto de leitura
(ARCHIVO) En esta foto de archivo tomada el 23 de julio de 2019, el uruguayo Santiago García, del argentino Godoy Cruz, hace gestos durante el partido de fútbol de la Copa Libertadores contra el Palmeiras de Brasil en el estadio Malvinas Argentinas de Mendoza, Argentina, el jugador de fútbol uruguayo Santiago García se suicidó el 6 de febrero. 2021, según las autoridades locales.

O suicídio foi a causa da morte do atacante uruguaio Santiago 'Morro' García, artilheiro e ídolo do Godoy Cruz, de Mendoza, conhecido como 'El Tomba', da primeira divisão do futebol argentino, confirmou a mãe do jogador e a procuradoria.

"Meu filho (que tinha 30 anos) perdeu a vida. Ele se suicidou porque sofria de depressão. Ele estava sendo tratado por psicólogos e por um psiquiatra e nos últimos tempos o haviam afastado da equipe. Estou sofrendo muito, disse a mãe, Claudia Correa em entrevista à televisão em Mendoza, que fica 1.000 quilômetros a oeste de Buenos Aires, onde chegou com parte de sua família para trasladar o corpo de seu filho ao Uruguai.

A procuradora do caso, Claudia Ríos, confirmou a hipótese de suicídio e esclareceu que "agora é uma questão de saber se houve algum incentivo ou ajuda para a pessoa determinar a sua auto-eliminação".

Morro García, ex-Athletico Paranaense, foi encontrado morto no sábado "em sua cama, baleado no parietal direito com arma de fogo calibre 22", sem que houvesse "qualquer intervenção de terceiros (outras pessoas) no local, segundo a procuradora. A morte ocorreu na madrugada de quinta-feira.

"Além da pandemia que está acontecendo neste mundo, e eles não nos deixam atravessar (a fronteira do Rio de La Plata). Esse senhor Mansur (José, presidente do Godoy Cruz) sempre o menosprezava. Ele não me atendeu. Está em Cariló (um resort exclusivo no litoral argentino) em 'merecidas férias' mas mesmo assim deveria ter me enviado as condolências. Nem isso. No Uruguai damos condolências".

Em outra crítica direcionada ao presidente do clube, Claudia Correa atribuiu a ele uma declaração segundo a qual Morro Garcia seria "um líder negativo para o clube".

"Meu filho sempre foi um homem humilde, um menininho que ajudava a todos. Ele ficava ao lado dos colegas. Nunca desrespeitou ninguém", disse a mãe do jogador.

Sobre Mansur, Claudia Correa acrescentou: "A única coisa que ele fez foi esperar pelo negócio e meu filho morreu pelo negócio. Há pessoas que vivem para ganhar dinheiro com as habilidades de outras pessoas".

O Godoy Cruz o elogiou em um comunicado: "Você foi um herói, você foi um artilheiro, você foi um amigo e família, você era tudo que uma pessoa quer ser quando pega uma bola".

Mas, ao mesmo tempo, a equipe 'bodeguera' garantiu que "a decisão drástica foi motivada por problemas fora desta instituição".

Recentemente o clube anunciou que não contaria mais com o jogador para a Copa da Liga-2021.

- Tributo a um artilheiro -

As mensagens de homenagem e condolências se multiplicaram nas últimas horas. Jogadores, treinadores, clubes e federações expressaram pesar. O velório foi realizado no domingo, na presença de muitos torcedores que manifestaram dor e apoio à família.

Atarracado e de baixa estatura, 'el Morro' era um jogador talentoso, embora às vezes se deixasse levar pela irritação.

Ele fez sua estreia no Nacional de Montevidéu e jogou com a seleção uruguaia no Mundial Sub-20 do Egito em 2009.

Jogou também pelo Athletico Paranaense, Kasimpasa da Turquia e River do Uruguai.

Com a camisa do Godoy Cruz foi o artilheiro da Superliga Argentina em 2018.

Passou por um momento difícil devido a um teste positivo de doping quando jogou pelo Athletico.

dm/ol/aam