Confira o que você precisa saber para começar a sexta-feira

Foto: REUTERS/Adriano Machado
Foto: REUTERS/Adriano Machado

Bolsonaro diz que nunca houve ditadura militar no Brasil, Lula diz que PT não precisa fazer autocrítica e Pelé não encontrará o presidente, que estará em Santos durante o feriado nacional.

Confira o que você precisa saber para começar a sexta-feira (15):

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Direito de ir e vir?!

presidente Jair Bolsonaro defendeu novamente a ditadura militar que governou o Brasil por 21 anos, afirmando que a população brasileira tinha direito a voto na época – um dado incorreto, considerando que o voto popular ficou proibido no país nas eleições para presidente (entre 1964 e 1985) e governador (entre 1964 e 1982). Bolsonaro também citou "direito de ir e vir" e "liberdade de expressão" no período. Documentos, depoimentos e outras evidências mostram, no entanto, que os agentes repressores do governo militar praticavam prisões, torturas e assassinatos por motivação política, incluindo de pessoas que não participavam da luta armada contra o regime.

Nada de autocrítica

Em seu primeiro ato partidário desde que foi solto da carceragem da Polícia Federal na última sexta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que o PT não precisa fazer nenhuma autocrítica e não nasceu para ser um partido coadjuvante. Ele lembrou que o partido polarizou todas as eleições nacionais brasileiras desde 1989 e disse que vai continuar polarizando em 2022. "O PT não nasceu para ser um partido de apoio".

Decisão anulada

O TRF-4 (Tribunal Regional Federal da Quarta Região) anulou uma decisão da juíza Gabriela Hardt, que substituiu temporariamente Sergio Moro nas ações referentes à Lava Jato em Curitiba, sob alegação de que a magistrada copiou e colou a sentença. O caso é referente a um esquema de desvio de verbas no interior do Paraná. O argumento é similar ao utilizado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que questionou Hardt pela sentença referente ao sítio de Atibaia (SP). Lula foi condenado a 12 anos e 11 meses pela magistrada de primeira instância em uma decisão de fevereiro deste ano.

Carlos Bolsonaro offline

Desde que o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) desativou suas contas nas redes sociais na terça-feira, os perfis do presidente Jair Bolsonaro passaram a ter uma frequência menor de postagens. Entre publicações de feitos do governo federal, entrevistas e republicações, Bolsonaro mantinha uma média de 13 posts por dia no Twitter — rede em que ele é mais ativo — de 1º de novembro até segunda-feira, véspera da pausa de Carlos dos meios digitais. De lá pra cá, o presidente tuitou apenas duas vezes na terça-feira e quatro na quarta.

Líderes

Segundo Pedro Conrade, fundador do banco digital Neon, um das valores da fintech é a de manter um clima divertido no escritório e na relação com cliente. Para ele, esta é a chave para conquistar a confiança de um potencial correntista. Conrade é o convidado da semana de Líderes, produção original do Yahoo! Finanças que coloca frente a frente as mentes por trás das empresas mais inovadoras do mercado.

Rei não encontrará presidente

O encontro entre Pelé e o presidente Jair Bolsonaro não acontecerá porque suas agendas não se alinharam, o blog de Eduardo Ohata apurou junto a pessoas próximas ao ex-jogador santista. Bolsonaro havia externado o desejo de se encontrar com o ídolo nacional, e chegou a ser feito um esforço para que isso ocorresse. Bolsonaro prestigiará o clássico entre Santos e São Paulo, válido pelo Brasileiro, na tarde deste sábado (16), aproveitando que estará no litoral paulista nesta sexta (15) para os festejos do feriado de 15 de Novembro.


Leia também